Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2010

QUANTO VALE A HONRA DO CIDADÃO?

Realmente é de se supor que não é a toa o clima espartano em que nos encontramos.
Recentemente um jurísta que por acaso, ou nem tanto, é presidente do STJ demitiu sumariamente um subalterno apenas por este estar exercendo o seu papel de cidadão, ou seja, estar aguardando a sua vez, atrás da demarcação para esse fim.
O magistrado então sentindo-se incomodado por estar fazendo uma transação pessoal, praticamente ordenou que o funcionário buscasse outro caixa. Ao ser alertado sobre ser aquele o único, o excelentíssimo ordenou então que o sujeito fosse fazer outra coisa.
O funcionário então deve ter lembrado (mas não disse) daquela famosa frase tão comumente usada nos tempos ditatoriais. "MANDA QUEM PODE E OBEDECE QUEM TEM JUÍZO", pois é!
Diante da recusa perfeitamente legal do jovem, o excelentíssimo o demitiu instantaneamente.
Como éra de se esperar, o jovem então aciona a nossa "justíça", e há pouco fiquei sabendo que mesmo que o jovem ganhe, ele perde. Eu explico.
O ma…

DIA DA CRIANÇA!!!!...DA GRANDE, E DA PEQUENA.

Amanhã é 12 de outubro. No Brasil comemora-se o dia da padroeira (Nossa Senhora Aparecida), e também o dia da criança....ebaaaaaa!!!!
Todas as crianças grandes irão adorar a Santíssima, e todas as crianças pequenas, com certeza aguardarão os seus presentes.
Isso me faz lembrar dos meus tempos de criança pequena...que bacana.
Adorava brincadeiras de época da "ditadura". No fim dos anos 60, e início dos 70.
Como naquela época era legal. Ninguém tinha esses "pensamentos atravessados" de hoje em dia. Podíamos brincar a vontade nos parques, nas ruas, ou qualquer lugar com bastante espaço.
As vezes um ficava contando, enquanto os outros se escondíam, éra o famoso "esconde-esconde", depois um tinha que pegar o outro, e quando conseguísse, esse tinha que virar estátua, ou seja ficar duro, éra o "duro-mole". Ou então um corría para pegar o outro, e passar para ele, a função de pegar o outro novamente, éra o "pega pega", e ainda aquela brincadeira d…

PESQUÍSAS NÃO TERMINAM EM PIZZA

Hoje eu fiquei curioso, e me veio uma idéia luminosa na cabeça.
Encontrar um "político honesto"...qualquer um...
Entrei no grande salvador de todas as informações universais, e mestre superior de quase todos os assuntos materiais, e etéreos. O GOOGLE.

Pois bem! Entrei e digitei no pesquisa..."político honesto".
Depois de alguns longos segundos de busca, me veio a resposta...VOCE QUIS DIZER POLÍTICO DESONESTO?
Eu emputecí! Insistí, só que desta vez usei as maiúsculas assim..."Político Honesto".
Depois de alguns segundos, novamente a resposta pergunta "Voce Quis Dizer Político Desonesto?"
Mais irritado ainda, mudei as palavras para ..."Honestidade na Política"...
Logo em seguida encontrei várias páginas voltadas para "sonhos", "encantos", "magías", e até algo sobre "utopía ufológica".
Como não era isso que estava buscando, enchí-me de paciência, e busquei novamente com essas palavras.
"POLÍTICO DESON…

SEU CUCA FOI CAÇAR TATU.

Muito comum ( e a história é repleta de exemplos) se comemorar a vitória antes do tempo.
Isso, já derrubou governos, exércitos, e até agremiações esportívas. O mal de se contar com determinadas reações, é que causa esse tipo de surpresa em qualquer desses segmentos.
Nada pode ser considerado previsível, podemos dizer no máximo que possam indicar tendências, mas nunca que essa possa ser usada como pilar de sustentação na argumentação de previsibilidade.
Principalmente em se tratando de sentimentos humanos.
Tróia foi destruída por isso. No auge da sua comemoração, facilitou a entrada do inimigo no coração de sua cidade.
Os romanos da antiguidade, conseguiram expandir seu império contra os chamados povos bárbaros, também pelo fato desses comemorarem qualquer pequena vitória antes da hora.
Eram pegos embriagados, e desprotegídos.
Ontem no domingo, houve o mesmo aqui.
Durante meses o que se viu, e ouvíu, foi um estrondoso "oba-oba já ganhou". Ou então um " -eles vão virar pó".

COMO UMA LÁGRIMA NA CHUVA

Outro fato sem sentido nos explode na cara. Um fato talvez, que nem venha a causar tanta comoção devido ao "tempo político" que atravessamos.
Quem iría reparar em uma lágrima no meio da tempestade?
-"Estou sem rumo...Nada mais importa"- Diz um parente, talvez a coisa mais esperada, e realmente inteligênte a se dizer. Embora de uma tristesa inconsolável.
O nome da "lágrima" é Miguel Cestari Ricci dos Santos.
Não importa o quão se qualifique esse garoto de apenas 9 anos. O mundo não se importa se era um ótimo estudante, um excelente menino, ou todos as boas coisas que se diz normalmente de um anjo quando parte. Isso sería maldoso. Isso daría guaríta à argumentos que passassem por meios contrários. Que importa se ele não fosse assim?
Esse é apenas mais um caso isolado. O montante de casos isolados começa a ganhar formas perigosas, quando se aproxima do entendimento de que tudo se pode.
Exemplos vem de cima, e embora o esfôrço dos pais em provar isso, fica di…