QUANTO VALE A HONRA DO CIDADÃO?

Realmente é de se supor que não é a toa o clima espartano em que nos encontramos.
Recentemente um jurísta que por acaso, ou nem tanto, é presidente do STJ demitiu sumariamente um subalterno apenas por este estar exercendo o seu papel de cidadão, ou seja, estar aguardando a sua vez, atrás da demarcação para esse fim.
O magistrado então sentindo-se incomodado por estar fazendo uma transação pessoal, praticamente ordenou que o funcionário buscasse outro caixa. Ao ser alertado sobre ser aquele o único, o excelentíssimo ordenou então que o sujeito fosse fazer outra coisa.
O funcionário então deve ter lembrado (mas não disse) daquela famosa frase tão comumente usada nos tempos ditatoriais. "MANDA QUEM PODE E OBEDECE QUEM TEM JUÍZO", pois é!
Diante da recusa perfeitamente legal do jovem, o excelentíssimo o demitiu instantaneamente.
Como éra de se esperar, o jovem então aciona a nossa "justíça", e há pouco fiquei sabendo que mesmo que o jovem ganhe, ele perde. Eu explico.
O magistrado em questão, prefere não dar declarações, e segundo o que foi publicado (até agora) se o rapaz ganhar a ação (o que é muito provável) por ter sido atacado em sua honra, o excelentíssimo, deve se retratar com ele.
Mas CASO prefíra não fazê-lo (o que também é muito comum) nada irá acontecer com esse distínto senhor.

Será que a Da Justíça está mesmo com àquela venda totalmente fechada????

18:13 25/10/2010

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS

COELHOS NA PISCINA