quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

-P,E.S.S-

Sabe quando você vai começar a se interessar por política?  Quando for receber o aviso de sua demissão alegando que a empresa está cortando despesas  e você perceber que passou a ser apenas isso..."despesa"!   Sabe quando você vai começar a buscar conhecer melhor aqueles que costuma eleger?   Quando perceber ao seu redor que as coisas sempre mudam drasticamente independentemente do seu humor, fé, ou pensamento positivo, e, na maioria das vezes, mudam para pior.  A menos, é lógico, que você se aliene!

Quando uma nação inteira, ou é analfabeta política, ou é ideologicamente cega, ou se deixa levar pelos hipnóticos populismos assistencialistas, acaba por se encontrar no final, no meio do esgoto após deslisar suavemente por um tobogã de maravilhas ilusórias.

Eu não gosto nem desgosto de ninguém, o mesmo com as siglas partidárias.  Não fico me estarrecendo quando uma presidente é xingada e outros vem chorando reclamando que ela é mãe, avó, uma senhora, enfim... isso é apelação de quem quer caminhar pela senda da emotividade.  Ninguém xinga, ou vaia uma pessoa, mas o que ela representa, e como esta atuando nessa representação.  Por sinal, Dilma está indo muito mal.   Nada tenho contra ela como pessoa, mas contra suas atitudes enquanto representa a chefe da nação.  É prepotente,  arrogante, enfim, bem diferente de quando se apresenta para uma entrevista ensaiada, ou durante seus pronunciamentos gravados.

Sua incompetência a precede desde antes de se tornar presidente.  Mas não vejo, ao menos por enquanto, qualquer traço comprometedor "no que se refere" à honestidade.   Dilma deve renunciar para que o país possa voltar a caminhar.  Dilma deve renunciar para que o Brasil comece a recuperar a confiança e retomar o crescimento.  Jamais alcançaremos qualquer objetivo enquanto essa senhora continuar sentada naquilo que ela própria deve considerar um trono republicano.

Imediatamente após a sua saída, o Brasil deve decidir novamente se ainda vai insistir no presidencialismo de coalizão ou no parlamentarismo.  E enquanto voltamos a crescer, agora como uma nação mais unida sem aquele vergonhoso ""nós contra eles"", vomitado tantas vezes pelo "rei da honestidade"  aproveitamos e instituímos mudanças drásticas no ensino fundamental valorizando os professores tais quais fossem nossos próprios pais,  executando as reformas doloridas mas necessárias para readequar o País no caminho mais seguro.  Quando a educação de base se fortalecer, não serão mais necessárias cotas no futuro.

Partimos então para a produção, para desonerações e incentivos à produção e escoamento com investimentos maciços em infraestrutura.  Debateremos enfim as flexibilizações da CLT que tão necessárias são para destravar a economia.

Paralelamente podemos criar mecanismos mais radicais e rápidos para punir os corruptos e desestimular a corrupção, diminuindo bastante esse grande mal que assola o povo brasileiro que inclusive, já se manifestou nesse sentido de ser o maior problema pelo qual passamos.

Podemos nos livrar dos elefantes brancos, acabando com todas as estatais e privatizando tudo, a fim de que, como entidades privadas, possam ficar livres de toda infestação de funcionários públicos bandidos que geralmente são acomodados em postos chaves e fazem como aqueles que destruíram a Petrobrás, não sem antes, convidar milhões a subirem à bordo para juntos naufragarem.

Assim, no futuro, um presidente pode até ser vaiado no congresso, mas trará consigo, os planos e medidas que devem ser tomadas e sempre muito bem especificadas no discurso.  Não apenas medidas de contenção de incêndios, mas medidas sérias.

Já disse que até posso ser a favor de retornarem a tal CPMF, desde que não seja para a arrecadação servir a esse governo que ai está.

Bem, existem milhares de outras coisas para se fazer, mas acredito que apenas essas já ajudariam muito..!

Uma industria forte, aliada a um bom comércio, e uma ótima educação, com certeza, haverá, em curto prazo, a vantagem em se acabar com os programas assistencialistas que só beneficiam realmente muito pouca gente em vista da enormidade de engorda de vagabundos que esses programas atingem.

Quem sabe ainda criem um partido (mais um rsrsr)  com bases tão firmes e sem socialismo barato no meio.  Algo como um    " P.E.S.S  "   (Partido da Educação, Saúde e Segurança)  enfim, os três pilares fundamentais que sustentam qualquer civilização e necessariamente nessa ordem.

Um partido com os ""pés"" no chão, um partido de centro, portanto, bem equilibrado.



sábado, 23 de janeiro de 2016

SÃO ÁGUAS PURAS E CRISTALINAS DO PINHEIROS E TIETÊ NO CENTRO DE SÃO PAULO

Diz um certo ditado que; "...onde há fumaça, há fogo".!  Pois e se essa fumaça atinge todos os níveis em todos os cantos se espalhando ,sufocando a tudo e a todos? Não há a menor possibilidade de haver apenas pequenas e despreocupantes "brasinhas".  

Nesses dias, o ex presidente Luís Inácio soltou o verbo numa reunião, dizendo que..."não existe uma alma viva que seja mais honesto do que ele"...  Citou também diversos órgãos sérios da nossa República incluindo-os na lista, e foi além... Na própria mesa em que proferiu essas palavras, também disse que ""nem ali"" .  Com certeza, se tocou na hora e proferiu um ..."pode ter até igual"... emendando em seguida um..." mas eu duvido"...!

Qualquer um naquele recinto com um mínimo de dignidade e honra, deveria ter, imediatamente  se retirado diante dessa ofensa.

Mas todos tem medo, se acovardam, se encolhem, diante do outrora "todo poderoso"!  Até Dilma que repete suas frases sem contexto, sem sentido, sem valor algum, é sempre entusiasticamente aplaudida pelas suas plateias, no mínimo pagas, ou com interesses inconfessáveis diante de um governo patético e destruidor como o que estamos vendo nesses últimos anos.

A fumaça cede lugar à gigantescas labaredas que consomem valores, éticas, moralidades, honradez!!!

O Senador Cristovam Buarque, (o único político para o qual ainda nutro algum respeito), divide comigo e, talvez com mais alguns milhões de brasileiros, a preocupação não se Dilma saia ou não saia, mas independente de todos os resultados, o que virá depois?

Enquanto a "quadrilha" que assomou o poder representada pelo Presidente da Câmara, do Senado e até a própria Presidência da República não for devidamente extirpada, sendo colocado algo que preste em seus lugares, nada irá mudar.... só vai piorar!

Tivemos dois anos de recessão, estamos em outro ainda pior e apenas consideram que tudo vai começar a melhorar a partir do ano que vem, em  2017.  Dizem isso com a mesma presteza com que disseram que "a coisa"  ia melhorar a partir do segundo semestre de 2015.  Que garantias temos agora?

De pensar que com tudo o que estamos passando em todos os níveis e classes desse Brasil, o Lula tem a coragem de se referir a todos nós brasileiros como "desonestos"... ou  "MENOS HONESTOS DO QUE ELE"...talvez alguns iguais....MAS ELE DUVIDA!!!!!

Não alimento ódios, mas posso garantir que, a cada dia que passa, enquanto vou constatando a dura e triste realidade pela qual estamos passando e vejo um bufão desses vomitando mentiras e se auto imputando tamanha santidade, pelo menos raiva e indignação ainda me chegam....

Só mesmo os desonestos, ou pouco honestos, ou bandidos mesmo, podem se calar diante dessas palavras que ele proferiu.

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

TIJOLO ECOLÓGICO - REAPROVEITAMENTO DOS PRÓPRIOS RESÍDUOS.

Assim como pequena, média, ou grande indústria costuma ter resíduos, eu sempre me preocupei com os resíduos que tinha na minha fábrica.  Eram dois, os entulhos de tijolos quebrados e as embalagens de cimento.  No caso da segunda, sempre ia juntando e deixava para os funcionários recolherem periodicamente para negociar, embora fosse muito difícil já que, hoje em dia, muitos poucos recicladores aceitam esse tipo de embalagens.  Já na questão dos pedaços que sempre vão se acumulando por todo lado a cada movimentação que é feita ou carregamento de caminhões, a solução encontrada foi, de início, reaproveitar os que ainda poderiam ser cortados para produzir as metades.

Só que, mesmo assim, a quantidade de entulho era enorme.  O problema é que, não há como reprocessá-los e prensá-los novamente.  Então, resolvi de outra forma.

Adquiri algumas fôrmas plásticas de pavers e lajotas para concreto, e procedi a moagem desses cacos até obter algumas granulometrias.  Consegui com isso reduzir os cacos à pedriscos, areia grossa e areia fina.

Esse material me possibilitou a produzir, embora em pequena escala, pisos, lajotas decoradas, e até blocos de concreto.  Tudo como é feito normalmente, só que bem mais leves, embora não tenha tido tempo de pesquisar mais profundamente suas aplicações e resistência.  Aparentemente ficaram ótimos.

Ainda me restou uma quantidade maior daquele pó fino que é o que mais sobra e que não cabia mais nos traços.  Então resolvi testá-lo como agregado ao traço normal do próprio solo-cimento e deu muito certo.  Como usávamos um traço forte de 7 x 1, começamos a acrescentar mais uma medida tornando assim, um 8 x 1.  e que ficou muito bom.

Os restos de tijolos formavam verdadeira montanhas que sempre me incomodavam, já que, ali estava composto de matéria prima processada, mão de obra, e cimento.  

Portanto, fica a dica e a orientação que posso passar para todos que ainda tem esse tipo de problema em suas olarias, que façam os seus testes com esses materiais e me passem suas dúvidas caso se interessem.  Terei o maior prazer em ajudar.


sábado, 16 de janeiro de 2016

EMPRESAS, GOVERNOS, NÓS, E A TERRA.

Apesar dos insistentes avisos que o planeta nos tem enviado em forma de "surpresas" desagradáveis no clima, ainda assim, parece que não damos lá, muita atenção.  Governos, grandes corporações, lobbystas, enfim, uma grande massa voltada apenas aos próprios interesses continuam a sabotar quaisquer tentativa de modificar nosso meio produtivo.
Já quebrei o pau com muita gente por causa dessa porcaria do chamado "pré-sal",  sempre insisti que deveríamos sim, investir em tecnologias como a do bio-diesel, infelizmente deixado de lado depois que encontraram essa merda negra em águas profundas.  Eu sei que o petróleo é essencial, mas não como combustível, existem outros derivados que não são queimados e podem muito bem manter nossas necessidades cotidianas como os plásticos, e outros produtos.

No momento, fico feliz com a atual situação mundial do petróleo.  Quando finalmente o pré-sal for inviabilizado economicamente, estaremos salvos de qualquer calamidade no caso de um acidente semelhante ao ocorrido em águas rasas que impregnou a costa americana e destruiu tudo por lá.

Se naquelas condições, não houve solução definitiva para o vazamento, e em águas rasas, imaginem um depósito imensamente maior e em profundidade absurdamente incorrigível.  Teríamos que deixar vazar tudo e perderíamos praticamente todo o nosso litoral.

Acidentes ocorrem, sim, é verdade. Como no caso recente da Samarco que, por causa do rompimento de uma barragem, despejou bilhões de litros de rejeitos de minério de ferro destruindo milhares de quilômetros quadrados de tudo, rio, oceano, terras,,,,!   Por que, afinal de contas, ficar juntando rejeitos e acumulando?  Por que não aproveitá-lo já que, é sim, possível fazê-lo?   A própria mineradora faz essas reservas e, depois, reprocessa o material para recuperações.  Que se eliminem os acúmulos....é simples.   Recentemente, na China,  também houve um sério acidente por causa de acúmulos de uma empresa.  Os rejeitos soterraram uma vila inteira.  É isso que acontece.  Não adianta culpar os terremotos, os maremotos, os vendavais, enfim.... é preciso eliminar os acúmulos.

No caso da mineradora Samarco, bastava reaproveitar o que pudesse e o que sobrasse, fosse feito um estudo de reaproveitamento como matéria prima para indústrias secundárias, talvez até negociadas com a prefeitura da cidade de Mariana.  Um exemplo prático, seria o uso desse material na confecção de "pavers" para pavimentações.  Pequenas industrias orbitando a grande empresa, dariam assim o destino ao material e evitariam os acúmulos, além de gerar empregos e riquezas para a região.

Sou a favor de que se reaproveitem tudo o que for possível e estudem o que acreditam não ser possível para que nada nesse planeta seja descartado formando depósitos perigosos.

Não me conformo em ver grandes chaminés liberando gases, pois eu acho que até esses gases podem ser resfriados e condensados produzindo algum tipo de produto que não contamine a atmosfera,

Uma grande chaminé soltando fumaça é o exemplo clássico da estupides, da burrice, da completa falta de estudo e, acima de tudo, do desrespeito para com todos.

Recentemente descobriram que até a nossa própria merda pode ser transformada em energia.
Isso já é óbvio desde remotos tempos.

Mas parece que gostam mesmo é de empurrar com a barriga e remediar depois.  Tudo bem, vejam o quanto está custando isso em dinheiro e em vidas.  

Mais à frente a fatura será muito...mas muito mais cara para todos nós.

Será que esses "economistas" sabem realmente fazer contas?

sábado, 2 de janeiro de 2016

NAVEGANDO

De vez em quando eu vejo uma coisa ali, outra ali, sobre um tema que vem cada vez mais chamando a atenção das pessoas.  Por que o tempo parece passar mais rápido?   Realmente, a vida, apesar de aparentemente longa em vista da maioria dos outros animais, é rápida sim, mesmo que atinjamos idades bem avançadas, acima dos 80 anos, ainda assim, parece que tudo correu muito rápido.

Acontece que, segundo levantamentos, é um tempo variável para cada um.  Nós é que achamos, por diversos motivos que o tempo passa mais rápido ou devagar, conforme uma teoria de Einsten sobre a relatividade do tempo.

Mas outro dia, conversando com meu amigo "O Zé" , fiquei sabendo que nós é que somos inteiramente responsáveis por essa aparência.  Quando passamos a fazer planos, estipular metas, almejar objetivos, enfim, quando ficamos focados em realizar alguma coisa, esquecemos completamente ou quase completamente, de viver o presente.  Fácil observar isso na infância, quando não tínhamos planos nem objetivos que não fossem sermos grandes.   Um dia durava muito teoricamente.  As semanas, os meses, os anos, se passavam lentamente.  A partir do momento em que começamos a estudar, a planejar, a estipular prazos e metas, enfim, quando às atingimos, frequentemente não nos saciamos e ainda buscamos outras maiores e mais distantes.  Essas junções de novos desafios nos impedem de usufruir o momento,  ficamos só focados em atingir o quanto antes os objetivos estabelecidos por nós mesmos, ou impostos pela sociedade.

Algo parecido como o exemplificado no filme "Click" protagonizado por Adam Sandler ( assistam ).  Nesse filme, o personagem consegue um "controle remoto" universal que possibilita a ele controlar o tempo e só viver os momentos em que já obtém suas metas, sejam elas quais forem.  Esquece-se da família,  dos amigos, da vida enfim.  A partir de determinado momento, o controle remoto passa a controlar tudo por conta própria subtraindo dele toda a existência até que se encontra no fim da vida tendo desperdiçado toda ela,  somente em conquistar objetivos próprios ou impostos.

Assim fazemos com nossos controles remotos.  Saímos da infância, começamos a estudar e, a partir de então, entramos nesse turbilhão remoto até quase o final de nossas vidas.  Quando finalmente chegamos a um determinado ponto, então continuamos fugindo do presente, alimentando a tecla "nostalgia" relembrando então o passado.  Sem mais objetivos, sem mais metas, só nos resta continuar fugindo do presente e viver no passado.  Isso parece ser completamente natural, quase todos somos assim, com raras exceções, talvez no meio budista.

Assim somos, porque assim as sociedades nos cobram.  Caso não nos formatemos à ela, então somos imediatamente rotulados de alguma forma, já que fugimos ao padrão considerado normal e aceitável.

Já dizia César,  "...-navegar é preciso,... viver, não é preciso" !

É o que fazemos... navegamos!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

ASSIM CAMINHA A HUMANIDADE BRASILEIRA

Ainda me lembro de quando o Brasil deixou de ser comandado pelos militares no final dos anos 80.  Tancredo Neves iria assumir a Presidência da República, mas subiu a rampa do palácio carregado pelos Dragões por já estar morto.  No entanto, o Vice José Sarney assumiu então o posto.  Durante seu governo, inúmeros "planos" foram feitos para colocar a economia nos eixos.  Sempre que a crise se aprofundava, lá vinham novos "planos" que, postos em prática, solucionavam o problema temporariamente.  Plano Bresser, plano verão, plano cruzado, enfim, um desfile interminável de planos sempre tentando por todas as formas, corretas ou não, tentar domar a terrível inflação e o desemprego que insistiam em assolar a nossa economia.

Sarney saiu de cena e entrou Fernando Collor de Mello, aliás, foi meu último voto de confiança em qualquer político.  Mais "planos" mais tentativas frustradas, mudando novamente a moeda de cruzado para cruzeiro, enfim...ainda tinham planos.

Collor foi chutado e ficou então Itamar Franco para nos devolver o velho fusca e tentar mais as suas aplicações de novos "planos".   Através de sua equipe e do seu Ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso, elaboraram mais um "plano"... o Plano Real, que, além de modificar outra vez a moeda e o nome desta, teria que sofrer uma mudança gradativa de Cruzeiro para URV's  (Unidades Reais de Valor), para só então, chegar-se finalmente ao Real que temos até hoje em dia.

Isso fez com  que Fernando Henrique Cardoso, se tornasse o novo Presidente do País e continuasse com mais planos, até na área social.

Dois mandatos depois e com a economia já sinalizando desgaste, foi substituído pelo então ex-operário Luíz Inácio Lula da Silva.  Esse não planejou nada, ou melhor, até planejou, mas praticamente tudo ainda esta apenas no papel.  O que fez foi, continuar e melhorar aqui e ali os "planos" do antecessor!

Mas como sempre, os nossos "planos" são sempre, de alguma forma, paliativos e temporais e, assim como todos os anteriores, precisam de novos destaques, novas modificações, ou até mesmo, novos planos.  Acontece que, após 13 anos de governo petista, os planos acabaram.  A terra secou, a fonte geradora de novos "planos"  tornou-se infértil.

Hoje, não temos mais planos, não temos mais propostas, não temos mais a menor ideia de como sair de mais essa situação econômica que sempre temos de superar, aliás, o brasileiro já descobriu o seu talento, superar dificuldades econômicas.  Acontece que agora, não temos nenhum "plano" para isso...e agora?

Agora estamos mais uma vez no dilema de escolher entre o mal maior. ou o mal menor.  Se Dilma continuar no governo, será o mal maior, sendo que se ela sair, teremos o mal menor.  Quem chefiar o Executivo nos próximos anos, não importa o partido, a ideologia, enfim, vai comer o pão que o pt amassou.

O único "plano" que eles parecem ter é o do ajuste fiscal, incluindo a volta da CPMF odiada.
Acontece que, esse retorno não irá recuperar os empregos, a confiança, nem a tão propagada retomada do crescimento, até porque é um imposto inflacionário.  Empresas pequenas e médias e micro estão fechando as portas, estão demitindo, não por gosto, mas por necessidade.

O consumo desaba, os juros sobem vertiginosamente, ao mesmo tempo que setores importantíssimos como saúde, educação, e infraestrutura sofrem cortes de verbas monumentais.

Até mesmo o PT que tem esse único "plano" está dividido nessa questão, e então eu pergunto, qual o plano que tem aqueles que são contra esse único?  Baixar as taxas de juros para apostar no aquecimento do mercado e descontrole da inflação?  O povo está endividado até a tampa, está desempregado, devendo, e consumindo cada vez menos.... a troco de que iria às compras com taxas de juros menores?   Aumentar ainda mais suas dívidas?

Saia Dilma, entra Temer....   Saia Dilma e Temer e entre Aécio, ou Marina, ou qualquer um que se apegar à cadeira executiva mor... terá pela frente agora , apenas a pequena.,.. a minúscula vantagem de recuperar um pouco a credibilidade do mercado.  Algo muito sutil, mas que se for acompanhado de algum bom "plano", talvez possa nos levar , não à retomada do crescimento, isso já não nos pertence mais, ao menos por hora, mas sim, a longa, difícil, dispendiosa, sacrificante, terrível e sofrida subida pelas paredes musgosas desse enorme poço em que estamos.... e tudo isso, com certeza ainda carregando o PT nas costas e sendo sempre agredido por ele que vai estar tentando como sempre, sabotar cada movimento rumo ao alto.  Irá deslocar pedras, bater nas costas, chutar o saco, dar gravatas, enfim, até chegarmos lá em cima novamente para voltar a sonhar com a retomada do crescimento.  Daí então, quem sabe eles voltem ao poder, e gastem tudo de novo...!




segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

EM 2013 FOI DADO O RECADO...EM 2015 AINDA NÃO ENTENDERAM!!!

Conforme eu já havia previsto, não houve muita festa nas manifestações desse domingo. É óbvio que houve festa sim, pela turma governista que comemorou um estrondoso fracasso diante da quantidade pequena de manifestantes. Mas eu pergunto; "-onde estão os manifestantes?" ...
Sim, porque diante do que eu via nas últimas manifestações, não se pareciam em nada com ...manifestações!    Eu via mais gente desfilando modelitos verde-amarelos, crianças, idosos, meninas tirando selfies, gente sorrindo, enfim, na minha opinião isso não é um protesto ou manifestação de desagrado, mas parecia muito com uma festa comemorativa, embora nada havia a se comemorar.

Já nas manifestações de 2013 quando o povo sim, foi às ruas demonstrar seu descontentamento que, apesar da violência tão enfatizada pelos meios de comunicação, acabou sendo abafado e deixado de lado.  Tanto as oposições como o próprio governo levaram a sério, mais a violência demonstrada do que propriamente os milhões que simplesmente caminhavam em massa de punhos fechados, fisionomias sérias, exigindo respeito.    Eu e minha filha caminhávamos pelas ruas junto a milhares de outras pessoas.  Não havia qualquer tipo de contentamento, de piadinhas, de brincadeiras, enfim, eram manifestantes se expressando realmente.

Então o governo, através de suas tripas mais sujas, colocou entidades as quais controla, para produzir e incentivar os tais "black blocs" que muito ajudaram amedrontando muitos daqueles realmente descontentes com os caminhos da atual administração federal.

Afinal de contas, todos sabemos que o início de todo aquele movimento em 2013 se deu no Rio Grande do Sul vindo depois para São Paulo onde o tal MPL (movimento passe livre)  começou aqueles quebra-quebras onde a polícia interveio e fez exatamente o papel que esperavam que fizesse, partiu para cima daqueles que destruíam, depredavam, e quando as câmaras lhes apontavam , vinham de joelhos oferecendo flores às tropas alinhadas que, por sua vez, aguardava a encenação, que logo em seguida ao foco das câmaras terem mudado, recebiam toda sorte de paus, pedras e coqueteis molotov desses "pacíficos" manifestantes.  Resultado, tinham que resolver e resolviam, sendo que, as manchetes publicavam apenas os pobres manifestantes mostrando flores ajoelhados seguidos dos brucutus uniformizados os espancando.

Mas as manifestações fugiram ao controle, os black blocs  se tornaram mais agressivos e descontrolados, e o povo continuou indo para as ruas exigindo já, outras coisas, impedindo que bandeiras fossem exibidas, que partidos surgissem, eu fui testemunha disso quando próximo a mim e minha filha, um grupo levantou bandeiras partidárias e foi obrigado a guardá-las novamente.

As manifestações de 2013 não tinham organizadores, foram espontâneas, e deram seu recado muito claramente.  Não havia uma pauta objetiva, mas uma lista de pautas que o, ou os governos fingiram que entenderam.

Agora eu vejo que nas manifestações seguintes, já há uma espécie de controle.  Os que se manifestam  agora seguem uma pauta estabelecida conforme o lado que as convoca.  Ontem, domingo, a oposição se apropriou e incentivou, já as programadas para quarta feira dessa semana, serão os partidários do governo, aqueles que vivem às custas de algum benefício, ou possam angariar "algum", para vestirem suas camisetas vermelhas, exibir suas bandeiras vermelhas, comerem seus sanduíches e depois, recolherem tudo e voltar para suas casas em veículos fretados.

Protesto no Brasil, já está virando piada.

Passou a ser mesmo uma festa de torcidas.  Tudo controlado, tudo bem organizado e bem preparado para demonstrar apenas que as máquinas do governo e oposição, acabam de ganhar mais um "produto" de consumo fácil, barato, e visível, que lhes seja posto às suas ordens.

Está chegando o dia em que verão que o povo não é esse gado que agora pintam com as cores que querem e conduzem da forma que desejam.

Os protestos de 2013 deram o recado que não quiseram ouvir.  Os de 2015 apenas ensaiam as danças que eles querem a depender dos lados em que estejam.

Vamos ver até onde podem continuar com essas manipulações competitivas, até a paciência e resignação bovina acabarem.