sexta-feira, 16 de setembro de 2016

SER OU NÃO SER... UM FILHO DA PÁTRIA.

Existem certos assuntos polêmicos que não costumo julgar.  E faço isso, especialmente para não cair na famosa hipocrisia.  Todos nós temos defeitos, contradições, incoerências, enfim, ninguém é perfeito.   Somos todos pecadores e, diante disso, não podemos atirar as nossas pedras, é certo.

Isso posto, me vem a consciência de que não devo e nem posso, criticar ou julgar os outros.  É isso que procuro ou tento fazer,  embora sempre caia em tentação aqui ou ali.  Mas sempre busco ser justo em minhas criticas e, principalmente, jamais sonhar em cometer o que critico.

É comum assistirmos ou lermos sobre acidentes de trânsito em que os motoristas se encontravam alcoolizados, por exemplo.  Recebo com muita tristeza essas notícias e não me sinto com moral para condenar esses motoristas porque também já dirigi embriagado quando jovem e não foram poucas vezes.  Só me pergunto se aqueles que saem proferindo já as suas sentenças,  não fizeram isso ao menos uma vez!   Não estou justificando, mas apenas, expondo que me arrependo muito de muitas coisas erradas que já fiz.   Embora também leia aqui e ali que não podemos criticar nossos administradores públicos porque também somos corruptos, furamos filas, subornamos guardas de trânsito, etc...não concordo com isso.  Isso sim, já é apelação a qual se apegam os defensores de bandidos.  

Estou para conhecer alguém que nunca tenha sonegado imposto, mesmo aquele menorzinho.  Não somos santos, mas isso não é justificativa para fechar os olhos aos crimes monstruosos que se cometem nas administrações públicas.

Ontem, assisti uma matéria sobre médicos que atendem em um hospital de Guarulhos em São Paulo que simplesmente chegavam ao hospital, acionavam o ponto digital, pegavam seus carros e iam para suas clínicas particulares.  Findo o dia, retornavam ao hospital, e marcavam novamente o ponto.  Tudo filmado durante numa constância monótona durante dias pela reportagem do SBT.  Ao final da matéria,  o repórter vai conversar com os médicos que estão novamente chegando e marcando o ponto e interceptando-os já entrando em seus carros, para lhes inquirir sobre o que estavam fazendo.
Deu até pena dos médicos, não fosse isso, um ato que pode custar vidas.

Todos negaram obviamente, e até afrontaram o repórter dizendo-se vítimas de mentiras, mesmo quando ele disse que tinha tudo filmado.  Os seguranças do hospital chegaram e queriam retirar os profissionais da imprensa do local, mas esses não se intimidaram e chamaram a polícia.  Estavam em um local público.

Tudo isso me revoltou tanto quanto os tais políticos que são todos os dias desnudados pela imprensa que tanto odeiam.   Principalmente quando negam enfaticamente que cometeram os crimes.

Ontem, no entanto, Lula em seu discurso para sua platéia fechada e de estimação, representando o perseguido e injustiçado pelo simples fato de amar os pobres, entre uma cascata de lágrimas e outra, proferiu  um discurso em que se ouvia claramente o trecho que transcrevo abaixo.

...“Eu, de vez em quando, falo que as pessoas achincalham muito a política. Mas a profissão mais honesta é a do político. Sabe por quê? Porque todo ano, por mais ladrão que ele seja, ele tem que ir para a rua encarar o povo, e pedir voto. O concursado não. Se forma na universidade, faz um concurso e está com emprego garantido o resto da vida. O político não. Ele é chamado de ladrão, é chamado de filho da mãe, é chamado de filho do pai, é chamado de tudo, mas ele tá lá, encarando, pedindo outra vez o seu emprego”.


...bem, acho que nem preciso explicar mais nada!!!

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

TRIDIMENSIONALIDADES

Tempos difíceis que vivemos!  Um momento único na história política brasileira desnudada por tantos escândalos, crimes, e traições para todos os gostos e desgostos.

Mas uma coisa que ainda persiste em me chamar a atenção, é justamente a passionalidade de muitos que parecem adorarem serem literalmente tocados, não conduzidos, serem amestrados, não adestrados, serem corrompidos, jamais convencidos.  Parece que adquiriram uma espécie de visão monofocal, ou pensamento monodimensional.  Se deliciam apenas tendo conhecimento de largura ou comprimento, nem imaginando que possa existir algo como a altura.  Abandonam a tridimensionalidade natural, enquanto chafurdam alegremente na mais rasa das dimensões.

Isso é facilmente verificável tanto no jornalismo, quanto nas opiniões de suas vítimas, ou melhor dizendo, leitores.  Não existe lógica, razão ou coerência, mas apenas aquilo que se quer escrever, mostrar ou dizer, e por outro lado o que se quer ler, ver, ou ouvir.

Assim sendo, os brasileiros que militam alguma ideologia, ficam impermeáveis a novas idéias, novos conceitos que não sejam originários de fontes às quais se submetem de joelhos tal qual um grande deus ou grandes deuses.

O exemplo claro é que, se você não concorda com um petista, então você é psdebista, e vice versa.
Tem que se seguir, obrigatoriamente, o conceito de que  "o inimigo do meu inimigo é meu amigo e sua variante ... amigo de meu inimigo é meu inimigo" e pronto.

A grande maioria de nosso povo se acostumou à essas paixões, desde o futebol, até as novelas, mas levar isso também para a política não faz sentido.

Sempre foi público e notório que essas aberrações, em sua maior parte,   vieram de ideologias de esquerda, até pelo apelo de defesa dos mais pobres e a desculpa da famosa redistribuição de riquezas.  Da igualdade entre todos, enfim, o apoio justo, correto, é mais do que desejável  , sem , no entanto, conseguir funcionar em quaisquer lugares onde foi implantado sem que, para isso, incontáveis indesejáveis fossem obrigados a "sumir".

Passionalidades também ocorrem em regimes de direita, embora com muito menos intensidade e mortalidade.

É inacreditável, mas já estão culpando o atual governo, aquele que assumiu, de estar causando a atual crise.  Um governo que, para mim, tem tanta importância quanto qualquer outro, embora eu seja também considerado um golpista por ter defendido a saída de Dilma.

A visão dos petistas, visão essa monodimensional, não consegue enxergar que, numa visão multidimensional,  nem todos apoiam o atual presidente, embora, até agora não tenha feito sequer algo que pudesse ser julgado.  Dilma caiu porque o Brasil não iria mais suportar dois anos com ela seguindo no mesmo rumo.  O exemplo mais claro é o que tem ocorrido com nossa vizinha Venezuela.
Não, o Brasil não chegaria a tanto, mas estaríamos bem próximos disso.

12 milhões de desempregados...doze milhões.  !!!...  Recessão e inflação juntas como raramente se viu.  Descrédito abrangente.  Desencanto com representantes que respondem esse desencanto provocando o mais profundo nojo.  Comportam-´se como aquele indivíduo no filme Titanic que pulou dentro de um bote salva vidas destinado apenas às mulheres e crianças enquanto se escondia cabisbaixo sendo acompanhado pelo olhar perfeitamente decifrável do marinheiro que baixava o bote.

Esse é o olhar do brasileiro imune à paixões agora.

Um misto de revolta e esperança que ainda impede atitudes intempestivas.

Ao se diminuir a miséria ao custo de aumentar a ignorância, só produzimos isso que estamos presenciando agora.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

GAME OF BANANAS ... NOVA TEMPORADA

Tudo ótimo, lindo e maravilhoso, não?  ... não, não está.  Muitos estão comemorando o impedimento da ex-presidente Dilma e o fim do ciclo sofrido, protagonizado pelo partido dela, mas não há o que se comemorar.  Primeiro, porque um impedimento nunca foi um sinal de que tudo está bem,  pode até ser um sinal de mudanças, o que é positivo sim,  mas nada a que se mereçam grandes festejos, afinal de contas, a luta só continua (como dizem os vermelhinhos enfezados).

Ontem o Senado Federal condenou Dilma por crimes de responsabilidade e ela perdeu o mandato, porém, numa manobra asquerosa que muita gente deixou de notar, ou fez que deixou, o Presidente do Julgamento resolveu alterar a letra da Constituição e separou em duas partes a votação.  A primeira parte foi sobre o crime em si, a segunda, se Dilma pode ou não ficar inelegível "como prega a Lei Constitucional.

O resultado foi que, na segunda votação o desmembramento da lei deixou a possibilidade de Dilma voltar a exercer cargo público.  O que é totalmente contra a lei.  Nela, (a lei) está estabelecido com todas as letras e de forma clara que,  """...o presidente que sofre impeatchment, também fica inelegível por 8 anos.  Um item está ligado ao outro, e ponto final.

Mas o tal "arranjo" foi feito, e Dilma escapou da segunda penalidade.

Isso abre um precedente perigoso, pois quaisquer artigos e leis estabelecidas podem ser manipuladas o que abre sérias consequências posteriores.

Mas nesse nosso caso é pior.

Existe um processo em andamento no Tribunal Superior Eleitoral, em que há a possibilidade concreta de que seja cassada a chapa Dilma/ Temer.   No caso do impeatchement concretizado na forma como estabelece a Constituição, o processo se extingue e Temer segue sendo o Presidente de fato, e tudo fica normalizado.

Mas como houve essa "mudança" de última hora, e o impedimento não ocorreu "nos conformes", o processo continua,   sendo que  , há a possibilidade de haver a cassação da chapa.  Nesse caso, Temer também iria pras cucuias.

Não morro de amores por ele (Temer) até porque quem já me conhece, sabe que não tenho partido algum.  Mas estou vendo novamente aquela bagunça e aquela guerra ainda em curso na busca pelo "Trono de Bananas"  tal qual o seriado Game of Thrones na luta pelo Trono de Ferro.

Infelizmente a guerra ainda não acabou.  Assim como a série, termina só mais uma temporada e começa outra.  E isso é péssimo para o Brasil.

Continuamos na mesma.  Ninguém vai se arriscar a investir num país que ainda se encontra sem definição política.  Temer é presidente, mas não há garantias que seja até 2018.  

Espero que o Supremo Tribunal Federal, seja acionado também nesse particular, e possa extinguir essa última votação criada artificialmente apenas para impedir o fim dessa novela.

A meu ver, seria como julgar um criminoso pelo crime e, logo em seguida à condenação do réu, pedir
ao juri  uma nova votação para saber se ele deve ou não cumprir a pena.

Sendo que essa pena, já está prevista na lei em caso de condenação...

...não faz sentido!!!!

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

QUEM SÃO ELES AFINAL DE CONTAS????

A Presidente afastada deu uma entrevista ao SBT dizendo que não vai renunciar, que não vai jogar a toalha, que não vai dar esse prazer a "eles"!   Lula vive dizendo que "eles" querem o retrocesso, "eles" querem acabar com os pobres, enfim, sempre se colocam como vítimas dessa incógnita terceira pessoa do plural.  Quem são "eles" então?  
A oposição?  a mídia?  a imprensa?  Nesse caso seriam  "elas" por uma questão de gênero! Os empresários poderiam entrar no contexto, porém, assim como os banqueiros, foram, como se pode perceber, os que mais faturaram dentro dos governos que se diz voltado para os mais pobres.  Tanto que grande parte deles estão presos ou em vias de serem.  correm para a caguetagem a fim de tentarem se salvar,  ao mesmo tempo em que os pequenos e médios fecham suas portas.
Me irrita profundamente esse termo genérico ao invés de colocarem nomes nos bois, ou vacas, quem sabe!

"-Eles não vão me derrubar"...!  Certo...já caiu!  Então caiu sozinha?  Ou foram "eles que derrubaram?

Dilma estufa o peito e diz que não irá "jogar a toalha" que não irá dar esse prazer a "eles".  Pois bem... O termo "jogar a toalha", vem da luta no ringue, quando o treinador resolve, por uma questão de humanidade, jogar a toalha para interromper definitivamente o massacre do seu lutador.  Não é o lutador que joga, mas sim o técnico que está lá, fora do ringue e confortavelmente a salvo das porradas.

Então, numa analogia mais apropriada e bem mais realistas, vemos a situação assim;

O lutador, que representa toda a população brasileira, ou todos "os" brasileiros, para um encaixe mais apropriado no gênero em questão, estão sendo massacrados, não por um, mas por vários adversários ao mesmo tempo.  Estão sendo arrebentados pela inflação, pela recessão, pelos juros estratosféricos, pela corrupção endêmica, pela economia debilitada, enfim, não é mais uma luta, e sim um linchamento espetacular.   E a dona excelentíssima, ilustríssima, madamesíssima, diz não jogar a toalha para não dar PRAZER a eles.

Com certeza, deve então, se imaginar com uma máscara, uma roupa preta, e um chicotinho na mão tal qual uma sádica assistindo sua obra prima de destruição acreditando tratar-se de resignados masoquistas se deliciando debaixo de porradas.


segunda-feira, 8 de agosto de 2016

ANTES AS MULHERES DO QUE OS MOLEQUES.

Pois então, eu nunca gostei muito de futebol, nunca me interessei por esse esporte, sempre tive mais olhos para o volei, ou então para outros esportes mais individuais.  Enquanto meus amigos de escola sabiam os nomes dos jogadores, eu sabia os dos Ministros do País, isso é, enquanto ainda não mudavam ministros a toda hora.

Entretanto, ontem tive aquela vontade mórbida de tentar assistir a partida entre Brasil e Iraque...Iraque, pô....!   Havia assistido as nossas meninas vencerem a Suécia e simplesmente me encantei.  Sempre fui admirador das mulheres, até mesmo contribui com mais duas brasileiras lindas para ajudar a embelezar ainda mais nosso país.  Aquele primeiro gol com um toquinho por cima do goleiro e (não me lembro o nome dela rsrsr)   aquela saída para comemorar com um sorriso lindo estampado no rosto de braços abertos enquanto o rabo-de-cavalo dos cabelos balançando aos movimentos, fiquei estático.  Subiu até um nó na garganta.

Mas a seleção masculina....pelamordedeus!!

O que faz o amor ao dinheiro não é mesmo?  Todo moleque quer ser jogador de futebol não para defender camisas, mas pra encher os bolsos e só.  Nada contra pretender uma vida melhor, mas algo que beira a prostituição ou a atitude mercenária, tenham dó.   Já bastam nossos políticos.

Isso, com todo o respeito às prostituas que tem um "trabalho" difícil, ou os próprios mercenários que, ao menos, colocam a vida em risco.

Estou me referindo ao termo bem no pejorativo mesmo!

Decidi torcer contra agora.  Se antes eu era indiferente, agora vou vibrar quando essa molecada tomar uma goleada e, se possível, nem sequer se qualificar para a Copa do Mundo!  Eles não merecem,

Logo essa olimpíada vai acabar e podemos então juntar nossos cacos, ver o que ganhamos, e comparar com o que estamos perdendo, então, fazer uma boa analogia de consciência para percebemos como somos facilmente manipuláveis.

Quanto às nossas queridas meninas, serei fanático por futebol desde pequenininho,...

Mas só por causa delas...   Viva as mulheres... com exceção apenas daquela uma que logo vai sumir daqui!  

sábado, 6 de agosto de 2016

TÁ TRANQUILO...TÁ FAVORÁVEL...!

Ando meio desanimado em escrever algo.  Acho que o país inteiro fica assim, meio letárgico diante da atual situação e ainda a falta de algum horizonte próximo.  Estamos atualmente ainda com 2 Presidentes da República.  Um interino e uma afastada.   Ninguém quer se arriscar a investir onde não há certezas e, com isso, vamos marcando passos.

Os únicos que devem estar esfregando as mãos ansiosos, devem ser os membros do crime organizado.  Para eles sim, há um belo horizonte se aproximando.  Dois fatores contribuem para isso, o primeiro e já devidamente sacramentado, é o fim da contribuição empresarial para campanhas políticas, isso abriu um enorme nicho de possibilidades deles investirem seu capital sujo num terreno maravilhosamente fértil e administrado por seus parceiros mais "limpinhos" embora exibindo as sujeiras sem medo, ao menos por enquanto, de serem "lavados"!

O segundo motivo ainda está a caminho.  A liberação dos jogos de azar no Brasil.  Isso sim, vai ser um fato a se comemorar por essa gente.  Ambos , os do crime organizado e os dos tais "limpinhos" terão excelentes meios de continuarem a aumentar as possibilidades de lavagem de suas verbas surrupiadas, desviadas, tomadas, enfim, qualquer verbo que signifique roubo mesmo.

A corrupção agradece, o tráfico de drogas agradece, afinal de contas, todos ficarão muito felizes com os caminhos que começamos agora a trilhar.  Isso sem contar com algumas "personalidades" interessadas também em liberar as drogas.

É como diz aquilo que chamam de música do MC Bin Laden  (nome bem apropriado)...


domingo, 17 de julho de 2016

QUANDO A MATÉRIA ADQUIRE CONSCIÊNCIA E ... SE PERDE!!!!

As vezes me encontro filosofando sobre o que somos na verdade.  Sobre o porque de uma matéria, o corpo,  adquirir a tal consciência , que não é material.  Mas de onde ela vem afinal?  Somos aquilo que adquirimos desde a infância em nossos aprendizados, em nossas experiências?  Ou já chegamos aqui com conhecimentos pré-adquiridos, sendo necessário apenas recordá-los com o passar do tempo.

Como pode algo evoluir de um ser unicelular para a complexidade biológica que permite adquirir toda essa consciência, e o poder de buscar até um pseudo autoconhecimento sem que nunca se possa realmente encontrá-lo?   Acho que todos os segredos residem nas dúvidas mais do que nas certezas. Elas, as dúvidas, nos levam sempre às buscas, enquanto que as certezas nos tragam para algo inerte.

Cada ser tem uma visão diferente sobre os infinitos aspectos que nos rodeiam, sobre as circunstâncias, valores, sonhos e desejos.   Pensamos diferente, agimos diferente, embora sempre admitindo que temos que seguir juntos praticando alguma tolerância para que aja a sobrevivência dos grupos.  Não há como se condenar os carnívoros e abençoar os herbívoros.  Se as ideologias que os condenam e professam que deveriam eles, os carnívoros, terem compaixão e mudarem seus hábitos para que os herbívoros pudessem ter a paz,  então,  esses iriam desequilibrar todo o organismo universal.

Tudo parece ter um controle absoluto que foge as atuais compreensões assim como citou o grande romancista Shakespeare sobre o céu e a terra.

Vivemos em coletivo, porém, somos únicos e sempre haverá essa individualidade para que possamos competir, debater, e até lutar por ela.

Mas o que sempre me intriga é a tal consciência.

A ciência surge como a única salvadora e conciliadora de todas as dúvidas, embora evite discutir aquilo para o qual ainda não possua instrumentos que possam confirmar ou esclarecer.

Podem, por exemplo, mandar um aparelho cruzar o espaço e orbitar Júpiter, mas não podem esclarecer conclusivamente o  porque de um cidadão se jogar com um caminhão sobre pedestres que comemoram numa avenida matando dezenas de rapazes, moças e crianças até ser abatido.

A ciência pode, quando muito,  usar de argumentos que passem pela religião, pela psicanálise, e assim, tentar tranquilizar e aquietar as dúvidas das massas.

Era um louco, um militante, um religioso extremista, um sádico, provavelmente com uma infância péssima etc, etc, etc.  Para tudo existe um rótulo pronto e preparado.

Somos todos nós, embalagens apenas aguardando os rótulos ou números, prestes a se tornarem apenas estatísticas, boas ou ruins.

Assim a vida, ou as vidas seguem, o mundo gira, e continuamos caminhando sem saber exatamente...

...para onde!!!!!