quinta-feira, 16 de abril de 2015

UMA BOA LEMBRANÇA VERDE-OLIVA

Em meus tempos de farda, lá pelo ano de 1981, durante as costumeiras secas de setembro, estávamos em treinamento acampados em São Paulo na região próxima a Barueri, quando, perto da
 hora do rancho (almoço), vimos uma grossa fumaça subir por trás das colinas. Estávamos no meio de um pequeno vale cercados por três morros com apenas uma única saída.  Sempre fui contestador e questionador e me lembro de ter levado mais uma bronca sobre achar aquele local muito estúpido para um acampamento de uma tropa.  Mas o assunto que me fez lembrar disso não passa por conceitos de estratégia militar, e sim, da prática militar útil realmente.

A fumaça cresceu por trás das colinas, se espalhou e mostrou o que vinha atrás.  Labaredas imensas brotaram repentinamente em linha vindo para a crista dos morros.  Uns sitiantes chegaram rapidamente dizendo que houve um "descontrole" e que os bombeiros já haviam sido chamados mas estavam apavorados porque ventava e o fogo crescia rapidamente e devorava agora já o começo do seco declive em direção ao vale onde estávamos acampados.

O período seco, com vegetação alta, era tudo o que as chamas precisavam.  Houve o toque de alarme, reunião da tropa e enquanto alguns recolhiam o acampamento, equipamentos e viaturas, outro grupo maior foi designado para coletar tufos de moitas rapidamente e formar uma linha paralela a da frente das chamas.  O grupo que retirou os equipamentos logo voltou para reforçar a limpeza de uma faixa atrás de onde estávamos para o caso de não termos sucesso no combate às enormes labaredas que cresciam e diminuiam a cada touceira que atingiam.

Nosso comandante então, depois da fileira pronta disse que quando apitasse longamente, teríamos que avançar contra o fogo e abafá-lo o mais rapidamente possível, e quando ele desse sinais intermitentes deveríamos recuar bem rápido.

Por estarmos num vale, a fumaça seria a maior ameaça, então, com lenços ou camisetas molhadas em volta do rosto aguardamos que as chamas chegassem mais perto e diminuíssem de altura para,  assim que isso acontecesse, fossemos todos juntos bater e abafar o fogo.

Aconteceu umas quatro ou cinco vezes e conseguimos dominar as labaredas.  Parte avançou enquanto outros iam destruindo todas as moitas maiores atrás de nós ajudando a diminuir possíveis combustões após debelarmos o fogo principal.

Em seguida, com tudo o que tínhamos à disposição para o rescaldo, buscamos água do riacho próximo e rescaldamos toda a área.

Foi meu momento de maior emoção no exército.  Havíamos mesmo feito algo de útil !  Trabalhamos  tão rápido que os bombeiros quando chegaram depois, apenas pararam suas viaturas e pousaram seu helicóptero que não mais seriam necessários enquanto cumprimentavam nosso comandante e nos agradeciam.

Não houve danos, não houve ferimentos, nada mais que uma ou outra queimadura leve em alguns poucos, mas todos, apesar da fuligem nas caras sorridentes e cansadas ainda aparentando certo misto de susto e realização, comemoravam muito felizes.

Nessas horas eu gosto de sair para o lado e buscar um espaço mais reservado para ficar observando apenas.  Subi um pedacinho do campo calcinado ainda fumegante para ter uma visão de tudo aquilo.

Meninos fardados comemorando a vitória tendo ao fundo um amontoado de viaturas.  Oficiais das forças armadas e auxiliares se congratulando, e preenchendo relatórios. Um helicóptero pousado.

Subi então o resto da colina rapidamente para ver o outro lado.  O fogo havia começado beirando uma estrada e subido rapidamente pela encosta.  Se não estivéssemos ali acampados, com certeza iria ultrapassar aquele pequeno vale e se espalhar pelos outros morros.  Acho que fomos úteis naquele dia.

Sim...  acho que fomos sim!!!

http://www.horadopovo.com.br/2012/02Fev/3033-17-02-2012/P3/pag3a.htm

quarta-feira, 15 de abril de 2015

NAVIOS SEM CAPITÃES

Dessa vez, eu não compareci ao protesto. Não vejo mais a necessidade de competir com aqueles que já sabem o que lhes está reservado, nem servir como unidade quantitativa de manobra por qualquer oposição. Além disso, a pauta não era a minha. Não tenho interesse no impeatchman presidencial, isso não resolveria nada!

O que estou presenciando é, um país prestes a agonizar. Medidas paliativas, superficiais, porém, de grande impacto negativo estão sendo tomadas. Parece que;  ou não entenderam, ou fingem que não entendem o que a população realmente quer.  Não observaram o contexto, não sentiram a necessidade óbvia de mais responsabilidade pública e menos disputas particulares.  Em seus sonhos megalomaníacos empurram o Brasil para um perigoso conflito em que muitos já estão até pensando em armas. Muita besteira e fanfarronice nesse caso!

O que eu quero, e também a maioria pelo que pude observar, é que, simplesmente governem de verdade. Que assumam as responsabilidades de cada um e arquem tanto com bônus, como também os ônus de decisões estúpidas.  Que paguem por erros cometidos e que a justiça seja aplicada sim, com justiça.

A festa do consumo parece estar acabando. O país se desindustrializa.  A energia e a água escasseiam mostrando tanto a incompetência de um, como de outro lado.  Os brasileiros mostraram que perderam a capacidade de sonhar.  Não sonham, não concretizam.  Quando o consumo exacerbado toma o lugar do planejamento sonhado levando milhões ao negativamento junto ao SPC, já demonstra a falta de foco...de rumo.  Muita gente, mais de 50 milhões de brasileiros estão endividados e com perspectivas sombrias à frente já que não há mais planos miraculosos no horizonte.  Tudo o que vemos é uma sanha diabólica para arrancar mais recursos da população através de mais impostos, taxas, contribuições, enfim, querem arrancar atá as calças de quem já está de cuecas.

Sempre na demagógica desculpa de proteger os trabalhadores, investem contra os empregadores até que estes não tenham mais condições de empregar, ou não tenham interesse nisso!

Continuam alimentando como podem a impunidade, porém, sempre mantendo a postura politicamente correta de serem contra a corrupção, o que não adianta absolutamente  nada!

O país começa a sangrar economicamente.  Não encontram ataduras nem mecanismos quaisquer de estancar essa hemorragia.  Tudo o que estão fazendo, parece ser somente jogar água sobre as feridas sem estancar o sangue, mas apenas lavando-o para que não pareça tão grave.

Os empresários, os governos das diversas esferas, de todos os partidos, de todas as ideologias não enxergam qualquer solução razoável.  Ao menos alguma que seja de consenso e que realmente trate dos problemas a curto, médio e longo prazos.  Aliás, parece que nunca houve mesmo qualquer interesse de longo prazo já que, tudo o que eles tem feito é sempre de medidas emergenciais, corretivas, paliativas, que pouco sanam ou, se resolvem momentaneamente, logo se tornam obsoletas.

Instituições que antes eram consideradas sérias, idôneas, fortes,  estruturadas, parecem começar a desmoronar como um castelo de cartas a cada investigação por menor que seja. Já outras, ainda sem qualquer toque investigativo, tremem apenas com um simples aceno de que podem vir a ser estudadas.

Mas as militâncias seguem bovinamente os mandamentos de seus amestradores. Afinal de contas, tem que se mostrar dignos das bondosas cotas de alfafa para que continuem mantendo seus quatro membros firmes ao chão.  Continuam seus mugidos, relínchos  e distribuição de coices e cabeçadas em qualquer um que simplesmente exerça o direito democrático de discordar.

Estamos entrando na era das disputas em manifestações.  Quem leva mais gente....quem faz mais barulho....quem demonstra mais indignação.  Enquanto isso, os bandidos continuam em seus palácios rindo, gargalhando, se divertindo jogando cabides em arrumadeiras, ou penabundeando algum assessor.  É o que sobra para se fazer quando se livra das responsabilidades da articulação política terceirizando a mesma, ou se livra também da função da economia jogando aos braços de algum desafeto lavando assim, as patas na pia, tal como Pilatos!

Será que, nesse meio tempo, o tal exército do Stédile  não está aproveitando para afiar seus facões e foices?

será que vamos ter ainda que presenciar isso????

....chegaremos a esse ponto????




terça-feira, 7 de abril de 2015

COXAS E TROUXAS

Coxinhas são aqueles seres que contestam as mentiras, que trabalham e não aceitam serem roubados.  Segundo o colunista Reinaldo Azevedo, são os trabalhadores do Brasil que estão cansados de serem explorados segundo critérios absurdos e desculpas idem.

Já os "trouxinhas", eu acredito, sejam aqueles que ainda seguem piamente a cartilha criminosa e defendem os crimes como se eles próprios os tivessem cometido já que, tudo foi em nome de alguma graça.

Agora: ou você é coxa, ou você é trouxa, não há uma terceira opção!  O Brasil se divide mais uma vez.  Antes, os trouxas eram aqueles que imaginavam que poderiam confiar nas mentiras do PT, eram aqueles que, ainda que de alguma forma, sonhavam que, poderia sim, existir um ser dotado de poderes que fizessem nosso país, sair do negativo para galgar um positivismo ufanista descabelado. O termo "-sem medo de ser feliz, era sempre mencionado e o tempo corria em festas de oba-obas frenéticos.  Agora que viram como foram trouxas, resolveram se levantar tirando as mãos do chão e tomar uma posição mais digna do ser humano para enfim, perceberem o quanto foram enganados.  Resolveram então demonstrar isso protestando ou questionando e...pronto!!!
Transformaram-se imediatamente nos tais coxinhas!   Ao menos, arrependidos ainda possam alcançar a salvação.  Quanto aos trouxas teimosos que ainda mantém sua fé inabalável nas utopias destrambelhadas, caducas, viciadas, daqueles que, a cada dia enriquecem mais às custas da fé "trouxeira", que se pode fazer?   Estão sendo a cada dia mais uma minoria esquisita.  Logo serão os tais 6% dos brasileiros que, ou tem interesses criminosos ou são completamente lesados.  Ou são cúmplices, ou hienas teimosas.  Enfim...temos ainda que aturá-los, pois é isso que pede uma democracia.

Tenho amigos diversos que já estão abandonando as fileiras dos enganados e enganadores sempre com as mais diversas desculpas.  Em todos os casos, é nítida a observação da frustração seguida de revolta contra aqueles a quem tanto defenderam.

Diferente de antes, não consigo mais ver o PT como um partido político, mas sim, como uma enorme e bem formada quadrilha de bandidos e saqueadores que não querem e não vão, deixar tão facilmente de continuar a contaminar as instituições democráticas para tentar impor suas doutrinas estupidas, porém, sempre defendidas com algum verniz social.  Além de agora mais do que nunca se colocarem ainda mais nos papéis de vítimas de um golpe cruel.

Nunca fui antipetista, mas tenho que concordar que o antipetismo esta crescendo dia a dia.  O que confundem e tentam dizer que é ódio.  Mas ódio não é assim.  Ódio é o que essa raça plantou, irrigou, e cultivou até a colheira que agora estão começando a fazer.

....tão reclamando de que?????

domingo, 29 de março de 2015

PAÍS JUSTO, É PAIS SEM IMPUNIDADE

É preciso ser claro...muito claro...claríssimo até ao ponto de se ter que desenhar achando que, dessa forma, alguém possa entender. Mas não;  fingem que não entendem para, em seguida ridicularizar.
Já expressei em diversos lugares na internet que não sou contra a corrupção, mas sim, contra a impunidade.  É ela, a impunidade, que alimenta a cadeia corruptiva.  Não adianta ser contra a corrupção e aceitar a impunidade.  O que estamos vendo hoje no Brasil é exatamente isso. A impunidade sendo aplicada de todas as formas possíveis.  É certo que muitos agentes do crime estão atualmente presos, mas aguardam julgamentos e, consequentemente seus advogados caríssimos brigam para encontrar e colocar seus clientes dentro de possíveis brechas que possam lhes aliviar as cargas punitivas.
Grandes exemplos demonstrados nos figurões da elite petista que está fora da cadeia enquanto os menos afortunados que lhes ajudaram amargam nas celas.  Ainda por cima, posam de injustiçados e guerreiros vitimizados por uma justiça seletiva e tacanha.

Nos próximos dias, talvez semanas, ou mesmo meses, algo terá que ser feito. Mais políticos estarão na mira da justiça.  Até a Presidente da República e o ex-presidente também.  Resta saber se o nosso judiciário está ou não tão infectado que possa terminar nas famosas e tão consumidas pizzas.

Quando a impunidade assume sua existência real, alimenta, por assim dizer, o pensamento de que o crime realmente compensa e aí adianta ser contra a corrupção somente?
Seria o mesmo que tirarem as multas para quem passa em semáforos fechados mas se dizer contra tal ato.  Vai diminuir ou aumentar os choques e atropelamentos nos cruzamentos???

Já passou da hora de: nesse país, adotarem uma postura mais comprometida  com a justiça. Não dá mais para insistirmos em um sistema praticamente falido onde só preto e pobre são  punidos e, até as vezes injustamente, por não ter uma defesa adequada.  Depois então, jogados em verdadeiros depósitos humanos como são as unidades prisionais.  Até o Ministro da Justiça já definiu como "masmorras", no entanto, isso foi antes dos amigos dele irem para a prisão e agora que já estão em casa, não disse mais nada.

Espero que isso acabe entrando nas pautas das manifestações do dia 12 de abril...

...lá estarei ...



sábado, 28 de março de 2015

FALTA GUERRA NO MUNDO

E extremamente difícil dizer, sequer aceitar essa ideia, mas , é cristalina: O mundo precisa de guerras.
A última grande guerra que envolveu e matou boa parte da humanidade, pode ser vista como uma doença, uma praga que dizimou milhões de pessoas. Assim como as grandes pestes que varreram também milhões.  No entanto, sempre conseguimos tirar importantes lições, tanto tecnológicas quanto sociais desses desastres.  Durante uma guerra como a última em que a Europa mergulhou junto com outros países espalhados pelo globo, podia-se notar o sentimento patriótico exercido por cada cidadão.  Com algumas exceções dos países comunistas que enviavam seus soldados desarmados para a front apenas para fazerem voluma, os outros, se enfrentaram com coragem. É certo que ocorreram crimes indescritíveis e a violência se espalhou como uma gigantesca explosão, mas era sim.... infinitamente necessário esse conflito.  Hoje em dia não podemos ter algo parecido sob pena de conseguirmos nos exterminar, então, a segunda grande guerra, foi o a última oportunidade dos seres humanos poderem usar como válvula de escape.

Não temos tantas guerras hoje em dia, mas...estamos em paz???   Não estou me referindo aos países belicosos e sim, por exemplo ao nosso país, o Brasil.  50 ou 60 mil mortos por ano em um período de uns 6 anos daria algo em torno de uns 330 mil mortos.  Quantos soldados perdemos na guerra real? e quantos estamos perdendo na guerra irreal?  Quantos são vítimas de acidentes de trânsito?  uns 30 mil ao ano?  Não dariam enormes bombardeios onde mesmo crianças, mulheres e idosos também não se perdem?

Parece que, durante um conflito, as pessoas começam a avaliar melhor o valor da paz.  Começam verdadeiramente a desejá-la e, por isso, combatem com mais fé, com mais coragem, com mais esperanças.  Quando estão nessa "paz" de agora, perdem a fé, a coragem, enfim, se entregam ao marasmo e a revolta que explode apenas em brigas isoladas por motivos mesquinhos, fúteis, ou simplesmente irresponsáveis.

Até mesmo diversos avanços na nossa tecnologia foram e estão sendo  conseguidos por esforços de guerra.  Setores como a saúde também acabam sendo beneficiados.  As guerras acabam por trazer também experiências terríveis, porém necessárias ao nosso aprendizado.  Irmãos que não brigam e não discutem nunca, um dia se matam por qualquer motivo.

Fazer o que, é o nosso estágio ainda grotesco.  A nossa condição miserável que nos empurra a tudo isso. Não adianta culpar o capitalismo pois esse é outro tipo de guerra em que o dinheiro pode ser usado como arma de pressão.  Quando vemos os jovens se bombando em academias estão fazendo isso para que?  Apenas pra se apresentarem de uma forma considerada saudável?  Ou para causar intimidação?

Torcidas organizadas, grupos que andam pelas ruas, enfim, usam para se mostrarem mais alegres ou apenas estão buscando outros grupos contrários mais imbecis do que os próprios para se massacrarem?

A mídia expõe a violência com tanta ênfase em horários diversos tanto quanto lhe pode porque isso dá audiência.  Todo mundo quer ver pessoas sendo esmagadas, degoladas, estupradas, e outras infinidades de procedimentos de sofrimento para que?   Outros preferem veiculações policiais grotescas mostrando sempre a realidade da pobreza e miséria humana para deleite dos expectadores.

Parece que, sem guerras os países se dividem dentro de si próprios.  Uns querem militares comandando, outros, bandidos, já outros,  tutores...

Até que finalmente se percam as consciências de vez e se mergulhem no caos mental, espiritual, e virem os zumbis recentemente retratados em filmes de ficção.  Não mordem....

...apenas continuam a assimilar...



domingo, 15 de março de 2015

VALQUÍRIA VERDE E AMARELA

As Valquírias, eram guerreiras que, galopando seus cavalos alados, escolhiam os mais valentes guerreiros que tombavam em combate para levá-los ao grande salão de Odin na mitologia antiga nórdica.

Hoje, durante a manifestação aqui em Campinas, SP, enquanto cantava a plenos pulmões o nosso Hino Nacional, dei uma olhada para trás e vi um casal em que a moça exibia sua barriga bem avantajada pela gravides.  Na pele da barriga estava escrito """- cuidem desse pais que eu to chegando..."
Foi o suficiente para me levar às lágrimas e baixar um pouco o tom com que cantava devido ao nó que se formou na garganta.
Pouco depois, me virei e, fui perguntar sobre a criança achando que pudesse ser um menino, mas fui informado que se tratava de uma menina.  Logo disse que tenho duas, embora já sejam moças agora, mas que sempre tive um carinho todo especial mais por meninas.

Minha última pergunta ao casal, foi então se ela já tinha nome:   me disseram que será Valquíria.  Não sabiam sobre a lenda nórdica antiga, apenas gostaram do nome.

Desejei toda a sorte do mundo a eles e à pequena guerreira que virá a esse país que estamos tentando reconstruir.

Infelizmente ela chegará em um momento muito  difícil para todos nós.  Um país dividido entre a mentira e as meias verdades.  Um país ainda sem uma identificação própria e que se aproveita de tudo que lhe é possível se identificar.  Um país tentando fomentar uma divisão de classes que não mais deveria existir e inventando uma luta entre essas classes que também já nem existe mais.

Nesse país é que Valquíria irá nascer!  Não sei o que deu na cabeça de Odin para enviá-la bem aqui e agora.  Vai ver, ele quer se distrair um pouco para não ficar se atormentando com as belicosidades fratricidas entre Thor e Look, vai saber.

O Valhala envelheceu, assim como as crenças e as fés de outrora valorosos guerreiros Vikings que tombaram.

Mas tenho certeza de uma coisa.... Valquíria jamais irá ver o vermelho em nossa bandeira. O vermelho poderá, quem sabe, tingir nossas ruas, nossas praças assim como tingiu muitos países onde o povo passa fome hoje em dia.  Mas nossa bandeira e nossas almas...

...jamais...

sexta-feira, 13 de março de 2015

O BRASIL E A PETROBRÁS... NÃO SÃO DELLES!!!!!

Acredito que dá pra entender bem o que está acontecendo e o que aconteceu com uma das maiores empresas do mundo, a Petrobrás.
Quando o governo entendeu a potencialidade do pré-sal, esqueceu quase por completo os outros programas energéticos como o bio-diesel, parques eólicos, ou até mesmo o álcool.  A Petrobrás cresceu exponencialmente de forma absurda somente com as propagandas e as perspectivas que produzia.  Verdadeiras guerras foram travadas entre os Estados produtores e os não produtores pelos tais de royalleties  advindos da exploração do petróleo.  Uma campanha ufanista se instalou então por todo o território nacional  exaltando nosso maior grande prêmio.

Até aí, tudo bem.  É perfeitamente normal que um governo proceda assim. Com exceção, é óbvio, do completo descaso com as outras matrizes energéticas que tanto nos fazem falta agora nesse momento.

Acontece que as perspectivas foram tão grandes, tão absurdamente elevadas, que puderam então, instalar um esquema criminoso dentro da Estatal  de forma a obter desvios estratosféricos que nem sequer seriam então percebidos diante do volume de captação que a Empresa prometia.
Quem, afinal de contas, daria falta de alguns bilhões de prejuízo diante de muitos e muitos bilhões entrando em forma de uma verdadeira cascata.  Me lembro que fui criticado justamente por criticar a exploração desse petróleo, pelos riscos que corríamos de contaminação devido à profundidade em que se encontrava. Qualquer vazamento poderia comprometer todo o nosso maravilhoso litoral já que não há absolutamente qualquer meio de contê-lo no caso de um possível vazamento.  Além do mais, sempre apostei na nossa capacidade criativa em turbinar meios menos agressivos de exploração energética.

Os EUA já conseguem obter óleo de xisto.  Os europeus investem cada vez mais em fontes sustentáveis, incluindo também os asiáticos. Mas nós não.  Fechamos os olhos às possibilidades e enfiamos a cara no oceano completamente cegos atrás do velho ouro negro.

O governo viu então a possibilidade de enfiar a mão no dinheiro achando que ninguém nunca descobriria.  E se descobrisse, ficaria numa boa simplesmente fazendo as famosas comparações que está acostumado a fazer quando pego em seus crimes.  Comparando com outros governos ou outros países.

O ex-presidente da Petrobrás, ontem, já deitou seu discurso de praxe. ELE NÃO SABIA!!!!  E acrescentou a impossibilidade de saber dentro de uma empresa daquele porte.  É impressionante a cara-de-pau desses petistas.  Lula NÃO SABIA do mensalão, Dilma NÃO SABIA do petrolão,  e agora Sérgio Gabrielli NÃO SABIA dos estratosféricos desvios na Estatal.

Essa porra dessa gente nunca sabe de nada quando lhes convém!!!!

Tanto é assim, que PAGARAM para muitos pobres infelizes baratos para irem em passeatas hoje em favor da corrupção, da roubalheira e das quadrilhas montadas para nos roubarem. É lógico que usaram outra nomenclatura dizendo que seria pela democracia e a favor da Petrobrás.

Com certeza, muitos até que receberam mas não compareceram. Podem ser pobres, podem ser necessitados, podem ser até comprados, mas não entregam. Aprenderam com os seus "mestres".

Domingo eu estarei nas ruas. Não recebi nada para isso. Vai até me custar algum para me deslocar até o centro onde, com certeza, irei encontrar outros Brasileiros que tem vergonha na cara e suam todos os dias para que outros se apropriem daquilo que produziram deixando em troca apenas mentiras, e ilusões.

Não pelo impedimento.da presidente....mas pelo voto facultativo e o fim da impunidade que só tem alimentado cada dia mais a corrupção.

O Brasil tem que começar a punir e punir duramente aqueles que chafurdam na lama. Os incompetentes, os quadrilheiros, os enganadores, os vagabundos que só sabem viver as custas do Estado.

...mas se você gosta de continuar sendo manipulado por essa corja vermelha, então...
fica em casa seu vagabundo!!!