O FIM DO BIN

Ainda é um pouco cedo para se ter uma idéia mais precisa sobre os últimos acontecimentos que culminaram com a morte do homem mais procurado do planeta. Métodos estão sendo discutidos e aqueles que são contra os americanos, já buscam toda a sorte de argumentos contrários à sua atuação em território extrangeiro. Pois é! Bin Laden estava "mocozado" no Paquistão e resta saber se com o conhecimento do governo, ou não!

Uns dizem que ele foi executado, outros que reagiu, mas o que importa realmente?  Não cabe discutir sobre os possíveis direitos que um monstro possa ter a partir do momento em que "é um monstro".

Fico imaginando um terrorísta que não concorde com o nosso governo "hipotéticamente falando", e consiga produzir um atentado de proporções que engolfem a vida de milhares de pessoas inocentes em nosso território. Acham que não buscaríamos fazer o mesmo?

O terrorísmo, é a forma mais degradante de qualquer tipo de manifestação, porque não leva em consideração nenhum aspecto humano. Não contempla qualquer tipo de sentimento humano, busca somente mesmo, provocar o temor, o desespero, o ódio, enfim, o próprio nome "terror". Como se combater um inimigo desses? Um segundo de hesitação...!  Apenas algumas contemplações sobre seus possíveis direitos, e abre-se uma brecha perigosa por onde mais vidas correm rísco.

Talvez, nesse episódio, seja um dos raríssimos momentos em que o fim realmente justifica os meios. Não estou justificando ações semelhantes por quaisquer motívos, mas convenhamos, o mundo estará melhor sem pessoas desse tipo...ou ao menos...menos piór!

Geralmente, busco me colocar na condição das pessoas que produzem seus argumentos. Me coloco na condição dele (Bin Laden) escondido com minha família e constantemente rindo de tudo o que foi produzido por mim. De todas as pessoas civís inocentes e desarmados que simplesmente desapareceram sem qualquer tipo de defesa...milhares...e milhares.!!!

Agora me posto no lugar dos parentes desses seres. Aqueles que não mais terão a companhia de seus entes querídos ou não. Em cada um, certamente exíste um buraco. Esse buraco deve ter sido parcialmente preenchido nesse momento. Talvez o sentimento de vingança tenha sido saciado juntamente com o sentimento de justíça.

Sou contra e sempre fui contra, a pena de morte. Mas existem casos em que não se pode desprezar as excessões!!!!  Nem Deus (segundo às escrituras) teve tanta paciência...quem dera nós, pobres criaturas Dele!!!

Comentários

  1. Pois é Robson.
    Isso sem falar que começou novamente a febre do ‘’desarmamento’’ como solução para a alta taxa de criminalidade no Brasil. Eles não aprendem mesmo. Vão gastar uma grana de respeito e ficar atolado no mesmo pantanal. Lembrando que, na semana passada, no Paraná, uma aluna de 11 anos feriu gravemente uma professora na sala de aula com uma inocente caneta. A menina, irritada com a brincadeira de uma coleguinha tentou agredi-la. A coleguinha correu e se protegeu ao lado da professora que, pobre coitada, terminou levando uma espetada de caneta com mais de 5 cm de profundidade. A professora foi socorrida com hemorragia e uma parte do bico da caneta introduzida nos seios, o que exigiu uma cirurgia. Nos EUA, pesquisas recentes, dão conta que uma criança tem 11 vezes mais chances de morrer afogada numa piscina do que num acidente com uma arma de fogo doméstica.
    O plebiscito para o desarmamento custa uma fortuna astronômica.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS