AMANHÃ ! O DIA DA MENTIRA!

Hoje, quarta feira, 31 de março de 2010.

Amanhã, se nada der errado, e segundo meu relogínho do computador, será 1 de abril.

Por que será esse o dia da mentira? É certo que existem muitas versões e explicações, algumas até pitorêscas, mas não tenho paciencia de aqui desfilá-las.
Todos acreditamos em alguma, ou fazemos de conta, afinal, não dá pra ocupar a cabeça com tantos detalhesinhos.
Gostaría de saber mesmo qual o dia da verdade.
E qual é a verdade? Suponho que sejam muitas, afinal, dependem do ponto de vísta, e raciocínio de cada um.
Um amigo meu me disse que não exístem muitas verdades, e sim apenas uma. Com certeza estava falando da dele.
Eu tenho as minhas próprias verdades, e a julgar pela quantidade de pessoas que tem as suas, isso se torna como se fosse uma eleição. Quanto mais pessoas defenderem uma determinada verdade, parece que mais verossímel ela se torna. Nesse ponto é que deve ter inspirado um certo chefe de propaganda nos anos 30 da velha e morta alemanha nazísta.

Tantos criaram uma verdade absoluta, que mal puderam entender, que essa não era a mesma que outras nações acreditaram. Precisaram fazer com que milhões de litros de sangue, de lágrimas, de suor, fossem derramados em diversos cantos do mundo, para provar que estavam errados.
Estavam errados?

Ou novamente foram votos vencidos nesse tipo de pleito?
Foi a verdade imposta pelos países capitalístas que derrubou a mentira dos paises comunístas, ou somente um mercado irracional, destemperado, selvagem, e injusto que pôs abaixo o grande muro de ferro?
Talvez tenha sido como um protesto feminísta, em que as militantes queimaram seus sutias, sendo logo em seguida, obrigadas a recuperá-los.
Mas então, onde resíde a verdade?
No absolutísmo? No devaneio abstrato? Ou quem sabe sería no dia 1 de abril?
Sim, porque um dia nacionalmente conhecido por ser o dia da mentira, talvez possa ser um dantêsco paradôxo destrambelhado de uma suposta paranóia coletíva de algo que passa a ser um conceito relativo.
Tudo é relatívo, segundo Einsten...Talvez aí esteja a expressão mais real. Incluíndo a famosa verdade. Ou quem sabe a mentira.

Meu corpo está cansado, minha mente está esgotada, e meus sentidos pouco ativos depois de um longo dia de trabalho ao sol. Isso é uma verdade!

Mas se recebesse uma notícia nesse momento de que ganhei na mega sena acumulada, o meu corpo iria produzir uma reação química, que mandaria essa verdade pros quintos dos infernos.

A ciência produz verdades assim como também as destroe quase todos os dias.
Nessa briga representada metafóricamente entre Deus, e o demônio, como verdade, e mentíra, talvez ainda haja espaços insinuantes que muitos nem sequer se atreveram a trilhar.

Assim como as falsas dualidades antagônicas ,Luz escuridão, bem ou mal, certo ou errado, Deus ou o demônio foram debeladas, podemos entender que a mentira também não existe, e que somente existe a falta da verdade. Porém. Quem irá julgar isso? Voce? Eu? Ou nós?

Então amanhã é dia de que mesmo?

...realmente, continuamos andando em círculos!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS