O BRASIL EM CHAMAS

Há bem pouco tempo atrás, estavamos sofrendo com a violência das águas, agora, estamos assistindo todos os dias o pais arder.
Muitos incêndios destruindo as matas, os animais, enfim, todos os sêres vivos em sua passagem dramática sobre o solo árido.
Notícias dão conta do problema amazônico e sua sêca, causando o desaparecimento de pequenos cursos de água.
Não adianta tentarmos enfrentar a fúria dos elementos sem ter o bom senso de respeitá-los. Isso é que é difícil.
Incêncios florestais criminosos se estendem por todo o terrítório, e aumentam a poluição, a destruição, causando em muitos casos, verdadeiras comoções nos expectadores.
Fico imaginando a ineficácia da palavrinha "conscientização". Como se pode esperar que a população saiba o real significado disso?
Como fazê-los entender de forma clara que qualquer pequeno foco pode facilmente se projetar em circunstâncias incontroláveis?
Parece que ninguém se preocupa muito com isso, até que os resultados comecem a doer realmente. Crianças com problemas respiratórios, falta de água, indisposição, doênças...
Nem nas esferas governamentais o problema parece ter repercurtido de alguma forma, já que foram cortadas boa parte das verbas deste ano na questão do combate aos incêncios florestais.
Parece que ainda acreditamos incrivelmente, que esse tipo de coisa, é facilmente consertado depois. Que podemos apenas esperar pelas próximas chuvas, que tudo se resolverá. A biodiversidade que já é pouca, irá rareando cada vez mais.
Realmente, quando temos - ou achamos que temos - muito, não há porque se preocupar. Desperdiçamos, jogamos fora muito do que em outras partes do mundo os cidadãos brigam para conseguir.
Temos um país maravilhoso, e como dizem, abençoado por Deus, embora deva acreditar que passa agora à ser amaldiçoado pelos seus habitantes. Não há outra forma de se entender isso.
Ainda tenho gravada na mente uma cena tríste de quando adolescente ainda, ajudei um destacamento dos bombeiros à debelar um incêncio na mata do sítio de meu avô.
Eu e meu irmão com maços de moitas nas mãos usando o sistema de abafamento, um dos mais eficiêntes para pequenas chamas.
Me lembro dos animais mortos calcinados pelo chão logo depois. Mas o que me impressionou profundamente, foi o vôo desesperado de uma coruja em chamas vindo a desabar poucos metros à frente. Seus piados ainda são ouvídos. São como gritos de dor em meus ouvídos, até os bombeiros, eu me lembro, se emocionaram com aquela cena.
No entanto, sempre no final do dia, olho do alto do morro, e vejo alguns bairros parecendo que foram bombardeados. Dezenas de colunas de fumaça surgindo dos diversos terrenos denuncíam a atitude de seus proprietários em poupar tempo, e dinheiro.
Como então podemos acreditar que possa existir conscientização para eles?

...afinal, conscientização, é para aqueles que tem consciência!!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS

COELHOS NA PISCINA