PARA SE CONQUISTAR UM ÓVULO

Eu ainda me lembro de quando os portões da escola se abriam, ainda me lembro daquela enxurrada de alunos se precipitando adentro. Parecia, eu me lembro, uma carga de cavalaria. Nunca fui de multidões, não pelo fato de não gostar, mas por uma questão de princípio, achava aquilo um despropósito, e isso, desde pequeno.
Esse comportamento de manada que ainda posso presenciar hoje em dia facilmente em qualquer lugar, seja num supermercado com grandes ofertas, seja no transporte urbano, ou qualquer ponto onde se ofereçam vantagens quaisquer, lá está o povo, um subindo pela cabeça do outro, buscando a todo custo, às vezes, à "qualquer" custo se situar melhor do que o semelhante.

Sei que trazemos isso antes do próprio útero quando então buscávamos fecundar o óvulo, sei que também faz parte do comportamento infantil, mas continuar deixando esse aspecto tomar conta de nossas vidas não nos torna tão diferentes assim dos demais animais considerados irracionais.

Muitas disputas são necessárias, aliás, estamos aqui para disputar sempre, no entanto, o que me causa estranheza é a forma, o conteúdo do objetivo. Muitas vezes chegam a ser demasiadamente supervalorizados como se tratasse de uma questão de vida ou morte.

Conseguir adquirir um produto mais barato numa loja, pode justificar assim que se arranque os cabelos do cidadão à frente, ou que se arrisque numa fratura, ou então, que se promova uma discussão com grande potencial de se transformar em conflito....Pra que?
Conseguir um bom lugar num coletivo preferencialmente sugere que deixemos de lado a boa educação? Será que temos sempre que assistir endossamentos de frases como "farinha pouca, meu pirão primeiro"????

São coisas tão mesquinhas e de uma praticidade quase nula ultrapassando as fronteiras do bom senso que por sua vez, tentam qualificar até as mais ínfimas efemeridades.

É evidente que sabendo disso, que tendo conhecimento desse tipo de comportamento, os pseudo-líderes se aproveitam ao máximo. Massas assim, se tornam facilmente manobráveis, podem ser orientadas ou desorientadas conforme o sentido que se queira. Ninguém para, ninguém pensa, ninguém analisa. Todos correm ou acorrem ao que pretensamente lhes é oferecido como uma excepcional vantagem. Só que depois se negam a reconhecer verdadeiramente os custos disso. Não aceitam, não querem enxergar nada!!!

Existem valores em todas as coisas, mas existem outros valores que não costumam ser levados em conta durante os períodos de ânsia e êxtases. Talvez os valores mais importantes que infelizmente só se dão conta depois que são irremediavelmente perdidos.

Afinal de contas, não é só a castidade que pode ser estuprada, mas as convicções, os ideais, os sonhos e objetivos que não se escondam somente nas sombras da prole. Dizemos que fazemos isso por nós e por nossos filhos, e quanto ao semelhante? Continua sendo um mero espermatozoide superdesenvolvido? E o útero? Seria somente um caminho? uma jornada onde se compra e vende mecanismos de "ultrapassar o outro"???

Por fim, o aconchego do óvulo!!! Onde podemos finalmente morrer em paz e com todas às glórias de uma vida sem nenhum sentido!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS

COELHOS NA PISCINA