ALLAH vs YAHVEH

Véspera de feriado!  Sento-me diante dessa telinha e vejo as notícias nos diversos portais e blogs que costumo seguir. Amanhã é dia da consciência negra, nem sei porque inventaram isso. Talvez uma forma de nos redimir perante pecados cometidos por nossos ancestrais idiotizados pelos infortúnios capitais.
Mas o que me chama a atenção, não é a crescente evolução da "política" da violência de São Paulo. Essa é só para produzir manchetes ilusórias sobre um conflito que nem existe, mas fazem questão de que deve existir, alimentando o sonho de muito marginal que nem estava disposto mas que devido à propaganda, resolveram "detonar" um pouquinho.

O fato desagradável, é o conflito entre palestinos e judeus. Desagradável pela sua complexidade, longevidade e inevitabilidade. Já que é um conflito de cunho mais religioso do que geográfico. Os judeus invadiram e tomaram o Estado de Israel com o apoio dos aliados logo após a segunda guerra mundial. Sua terra prometida estava enfim, garantida. Os palestinos não gostaram. Quem afinal de contas gostaria? O mundo árabe, apesar da grande maioria até, de certa forma, aceitar um pouco, é abalado por facções daqueles que não aceitam. Um desses grupos ultra-radicais conhecido por 'Hamas" impõe ao povo judeu incessantes bombardeios com mísseis pequenos, fracos, porém, de algum poder destrutivo. Para se elaborar alguma opinião, é preciso conhecer a história desses povos. Eu não conheço, é caso para estudiosos. Mas nem mesmo eles conseguem se entender. Se "ALLAH quer aquela região, e "YAHVEH"  também a quer, não acho sensato que usem seus filhos para disputá-la em confrontos.

Entendo o problema palestino mas também não condeno uma reação de Israel. Qualquer militante que condene, certamente o fará para peitar os yankees tradicionais aliados dos judeus. Ou  então, no fundo, é mesmo um anti-semita enrustido!

Se ponham no lugar de um povo cercado de inimigos por todos os lados. Inimigos que desejam sua morte 25 horas por dia.  Inimigos que abrigam grupos extremistas que disparam mísseis em quantidades absurdas todo santo dia!  Como negociar com grupos assim? Como chegar a algum consenso?

Os extremistas muitas vezes provocam e quando recebem a resposta, colocam crianças como escudo para que, assim que uma delas for abatida, possam pegar o seu pequeno cadáver e exibir como demonstração de crueldade única dos inimigos. Seus foguetes não tem direção, são do tipo, caia-onde-cair-mas-mate!
Já os israelenses lutam com armas mais precisas, embora  ninguém possa ter controle absoluto dos resultados nos alvos determinados.

Assim como todo mundo, eu desejo a paz,  mas a complexidade do problema, talvez só tenha um único caminho...


...infelizmente!!!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS