OS NOSSOS AFRICANOS



Atualização;  As  impressões que tive sobre a tragédia que abalou nosso país, ainda não cabem em palavras, não  podem portanto ainda serem expressas...

Por hora, vou apenas aguardar para ter um raciocínio mais claro a respeito e também em sentimentos aos familiares das vítimas...


...que Deus as ajude!!!!

Robson












Alguns conhecem mais do assunto, já outros, nem tanto. Muitos se dignam a pesquisar, buscar soluções mesmo que paliativas, outros, nem sequer olham para o problema. A vida social conturbada, os problemas cotidianos, os projetos particulares de cada um nos impedem de, na maior parte do tempo, verificar que temos sim, uma Etiópia dentro de nosso próprio país!



Muito embora seja louvável a intenção de ajudarmos a Africa, como bem disse um de nossos representantes, fica essa questão ainda pendente dentro de nossas fronteiras, ou seja, em nossa própria casa  ainda há um problema sério que precisa ser solucionado antes que tentemos ajudar na casa do vizinho.

Estou evidentemente me referindo à eterna questão da seca nordestina. Um país que se gaba de ter um dos maiores recursos hídricos do mundo, deveria sentir vergonha por ainda alimentar esse sofrimento. Produzimos energia em quantidade apreciável com esse recurso, porém, não dedicamos ao menos parte dessa energia para ajudar os  "nossos africanos."

Se essa região fosse ainda que de solo desértico onde há apenas pedras e areia, ainda assim, teríamos a obrigação de solucionar o problema visto que  muitas nações conseguiram solucionar os seus através de métodos e tecnologias simples ou complexas, dependendo do local e da época.

Os antigos romanos construíram quilômetros de aquedutos, os israelenses chegaram até a rebocar icebergs, centenas de milhares de mãos trabalharam com afinco derramando seus suores, suas lágrimas e até seus líquidos mais vitais para que outros pudessem se beneficiar desse líquido da vida.

O solo nordestino não é um solo morto. É um solo adormecido aguardando ser despertado. A região afetada direta ou indiretamente, pode ser considerada do tamanho geográfico de vários países europeus juntos.  Não dá para ficar remediando, remendando, postergando um problema que está já indo para o segundo século de tormento.

Se não me engano, grande parte dos votos que elegem os políticos atuais, inclusive muitos deles próprios vem dessa região esquecida o que torna isso um ato parecido como "bater na própria mãe!"

Eu sou só um brasileiro que quando criança também chorou junto com aquele repórter durante uma entrevista com o menino que brincava com ossos e hoje ainda sente o nó na garganta quando observa obras que não terminam, que são abandonadas, que se deterioram jogando fora os recursos arrecadados por todos nós para enfim, solucionar, ou que seja, amenizar o problema dos nossos irmãos afetados.

Precisamos mesmo ajudar a África?  Precisamos mesmo de um "Trem Bala"?  Por que? Apenas para mostrar aos "ingleses" que progredimos em tecnologia de transportes, progredimos a ponto de poder socorrer os vizinhos enquanto nossos filhos morrem?  Progredimos??????

ISSO É SERIEDADE? Pergunto a uma pessoa que já me questionou nesse meu bloguinho...!

Ao mesmo tempo em que se matam nas questões agrárias com suas invasões fabricadas e perturbações orquestradas de cunho quase sempre político, seres humanos brasileiros vivem em condições análogas aos mais infelizes etíopes.



Ajudar os africanos gera alimentação de mitos. Solucionar de vez um problema nosso ao qual pagamos e pagamos caro em todos os sentidos é dever prioritário daqueles que tem em mãos o poder de decisão.

Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro, podem sim, sobreviver ainda um bom tempo sem "trem bala". Olhem com mais amor e respeito para aqueles que acreditaram e, não sei porque cargas d'água, ainda acreditam em vocês!

Cavar valetas, mesmo que de certa complexidade, nem se compara a construção de aquedutos de pedra ou reboque de montanhas de gelo pelos oceanos. Também não há comparação em extrair e transportar por quilômetros gás e petróleo em oleodutos refinados para alimentar máquinas deixando por sua vez de levar a simples e pura água que alimenta seres humanos. A solução de dois problemas graves verde e amarelos se encontra nessas simples providências, o da seca, e da questão agrária.

Mas daí...

...onde é que vão conseguir mais votos não é mesmo?



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS

COELHOS NA PISCINA