DROGAS AO VENTO

Por alguma razão que desconheço, ou não posso me lembrar, vim a esse mundo. Provavelmente será a mesma razão pela qual também terei um dia que deixá-lo.  Por outra razão, também contribui de alguma forma para ajudar na perpetuação da raça humana e seu constante aprimoramento, acredito eu, na busca da evolução infinita. Tenho duas filhas que moram comigo e um filho que mora com a mãe. Amo os três como qualquer pai amaria os seus.
Sempre tive como maior medo, receio, ou qualquer nome que se possa dar a verdadeira paúra na questão das drogas. Ensinei minhas filhas bem cedo sobre os mistérios do sexo. Tive e sempre mantive esse diálogo aberto com elas. Não me sentia nem me sinto constrangido em conversar sobre esse assunto com as duas. A mais velha, quando completou seus 16 aninhos tempos atrás, e já namorava, me fez ver a necessidade de levá-la a um posto de saúde para insistir que ouvisse mais detalhes sobre essa maravilha que é tão cercada de tabus e perigos. Se for praticada de forma displicente, é óbvio!

Mas eu me recuso a acreditar que existem pessoas dotadas de até certa autoridade empenhadas em discursar a favor da discriminação de qualquer tipo de droga. Essa é a questão mais estúpida que se possa adotar como linha de qualquer ideário. Já temos problemas demais com o álcool, temos problemas demais com o tabaco (eu inclusive, sou fumante) . Proibimos comerciais de cigarros, mas querem liberar as drogas?
Um dos maiores argumentos, se é que isso possa ser tratado como "argumento", se refere ao golpe contra os traficantes. Bem. Isso pra mim, é passar um atestado de incompetência em letras garrafais em nossas autoridades.  Algo tipo; """se não pode com eles JUNTE-SE A ELES!!!!""""

Algumas bestas ao cubo se reúnem usando dinheiro público para discutir essa questão. Não há o que se discutir a não ser para se punir com muito mais rigor, muito mais exemplaridade aqueles que fazem do tráfico o seu "ganha-sangue" de todo dia.  Somente quem tem um filho ou filha dependente dessa maldição pode saber sobre o que estou dizendo. Somente um pai ou uma mãe ou um irmão, ou um grande amigo, pode ter conhecimento de como se enterra alguém antes dele estar realmente morto. O que vejo todo santo dia eu gostaria que um desses filhos da puta favoráveis à descriminação pudessem ver. Mas não é só ver não.  É se ENVOLVER, sentir parte do que aqueles infelizes estão passando. A forma como estão lutando quase sempre sem qualquer força para se livrar do maldito vício.

Atravessei um período negro onde contava os minutos para minhas filhas chegarem sem qualquer vestígio dessa porcaria. Nunca as proibi diretamente, mesmo quando menores. Sempre ORIENTEI a que observassem com bastante atenção a rápida deterioração daquelas "amigas" usuárias. Daqueles "amigos" entregues.  Puderam presenciar isso de forma rápida. Não foi preciso discutir, brigar, entrar em confronto de gerações. Bastou apenas duas coisas;  Observação e resultado.  Pronto!!!!

Me lembro de quantas vezes me ofereceram um baseado. Me lembro também que, o que me salvou, foram excessos de bebida misturada que me provocou vômitos logo na primeira tragada.  Engraçado. Jovem é salvo de drogas pela bebida. Isso foram outros tempos. O caso agora já é quase oficializado. Não são mais os "não caretas" que brigam para envenenar a nossa sociedade. São cidadãos até de certo respeito, de boa fala, de boa aparência, de intelecto auto-dizente "avançado". Do tipo que se você discordar, será automaticamente rotulado de reacionário, retrógrado, enfim, o imbecil É VOCÊ!!!!

Será que já não estão satisfeitos em ter uma sociedade controlada?  É preciso também dopá-la?

E olhem que nesse país de poderes corruptos, é bem provável que, com jeitinho, ainda aprovem essa tal descriminação.

Seremos então o orgulho do mundo. Um país avançado, com  leis avançadas, em que seus representantes ao receberem as menções honrosas caiam ao chão, ou não consigam se levantar para discursar.

Tomara que, caso caiam, não levantem nunca mais!!!!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS