A NOVA LEGIÃO

Vinte e duas horas e quase nenhuma alma nas ruas. As mãos nos bolsos da jaqueta de couro surrada, o vento frio levantando folhas, arrastando papeis, plásticos, pequenas embalagens, ao longe ruídos de uma lata vazia rolando pelo asfalto.
O céu negro e pontilhado parece aguardar algum som, algum fiapo de pensamento para se alimentar. Dúzias de lembranças rocamboleiam  pela mente. Vez por outra, um carro passa pela avenida.
Vem aquela vontade de cantar qualquer coisa, algo de preferencia que saia de dentro das lembranças que não se fixam, que não se encontram, que não se definem qual a primeira, nem qual será a última.

Mais um cigarro à mão, os cães começam a ladrar nos quintais.

Onde está todo mundo? Não há mais tempo fora das telas ou visores dos eletrônicos?
O universo parece ter se concentrado em seus lap's, celulares, micros, tv's, e toda essa porcariada digital da qual estamos literalmente nos escravizando aos poucos?

A musica não vem...não quer vir...não se decide!!!

Entre centenas dos 70's, 80's e 90's, não encontro nenhuma...!

Reparo numa mesa com alguns jovens, as imagens surgem do passado, depois, das meninas, de cada fase, de cada capítulo, de cada ferimento no caminho, de cada cicatriz que ficou, mas passou, embora algumas ainda teimem em doer.

O vento obriga a jogar a bituca fora para retornar à mão ao bolso!

O velho tigre está quieto hoje!  Está temporariamente confuso, cansado, exausto de não se exaurir!

Hoje não dá para cantar. Cantarei apenas com a respiração enquanto apresso o passo para me juntar a legião. A nova legião dos mortos vivos eletrônicos. Dependentes do carinho virtual.

Mas o que é virtual? O que é real? Não existem mais parâmetros.

Defendo hoje o que provavelmente terei que atacar amanhã...! Coisas de um mercenário...odeio esse termo! Talvez por soar como prostituição, sei lá!

O Zé não quer conversar, só quer que eu volte bem quieto para a legião. Hoje, Ele deve estar pensativo também.  Apenas sussurra com o vento, com as folhas, com as embalagens, com as passadas rápidas!
Não quer cantar e também não quer que eu cante!

Há trinta anos atrás havia mais pessoas nas ruas, menos lixo voando, menos cães latindo, e olhando para baixo, conseguia visualizar minha farda verde oliva, era um garoto ainda com seus 19, então toca o celular...

...Minha filha agora com 19 me dizendo -"Boa noite pai" -

...volto do tempo, volto para casa...

...volto para a legião!!!!









Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS