ATÉ QUANDO FICAREMOS "DEITADOS" EM BERÇO ESPLÊNDIDO" ???

Uma das coisas bem interessante que constatamos no Brasil é o tal de lucrar e lucrar muito, na maioria das vezes em excesso.  Quantas pessoas já me disseram que, se for para fazerem algo que ganhe menos de 200%, então, nem começam.  Constantemente vemos liquidações em que se anunciam descontos que vão de 30%, 50%, e até 70%, e eu fico questionando o quanto estão perdendo, mas que nada, ainda ganham, e ganham muito.

Por essas e outras, o "País do jeitinho", vai criando seus mecanismos culturais baseado na sempre tão conhecida "lei gersiniana"!   Ah, mas os impostos são altíssimos!!!!  Eu concordo, porém, isso é apenas mais um indicativo de como o "Custo Brasil" também judia de seu povo.  Grandes empresários tem acesso quase irrestrito à financiamentos feitos por órgãos estatais, enquanto que pequenos investidores tem de deixar praticamente as calças para viabilizar qualquer empréstimo.

Parece não haver consenso ou sequer bom senso, e a ganância desmedida vinda por todos os lados , só colabora para criar mais dificuldades à economia.

Ontem, conversei com minha filha sobre ela me questionar o porque de eu comparar sempre o Brasil com os Estados Unidos e não com um outro país qualquer como algum africano.  Expliquei à ela que não tem como se comparar o Brasil com quase ninguém a não ser com os EUA, e simplesmente porque temos histórias parecidas e praticamente são Nações que surgiram juntas no novo mundo. Qualquer país da América do Sul, ou tem grandes distorções geológicas, geográficas, políticas, e até climáticas que oferecem despropósitos nas comparações. O Brasil, pela extensão territorial, clima, geografia, enfim, diversos fatores semelhantes apenas com algumas poucas exceções, é sim, comparável aos Estados Unidos.  Quanto aos países africanos, infelizmente não há como qualquer comparação.

Então, essa é a questão. Basta assistir alguns vídeos de depoimentos de brasileiros que lá estão, e constatar que, apesar da ganância que é inerente ao ser humano, existem locais onde, pelo menos, existe um controle disso.  Impostos exorbitantes, taxas de juros monumentais, e margens de lucro pornográficas, pelo que eu saiba, não fazem parte da cultura econômica americana.

Quando nosso povo começar a entender que vale mais a pena  e cria mecanismos para fomentar a economia, usar de bom senso e aplicar tudo isso de forma mais justa, daí sim. estaremos caminhando para uma nova conquista social.  Felizmente isso já vem ocorrendo, só que a passos ainda muito tímidos.

Um  amigo meu me perguntou certa vez, se eu preferiria ganhar 50 ou 100%, eu realmente não entendi a pergunta, mas a resposta certa, estava em saber """sobre quanto e o que""""!!!

Se eu produzo, comercializo, ou trabalho por unidades dentro de uma capacidade limitada ou ilimitada, devo sempre ter em mente esses fatores e adequá-los à minha capacidade operacional.
Dessa forma,  eu poderia facilmente observar que,  100% de 10, seria o meu ganho de 10, e que 10% de 100 também é 10 ,   e atende muito mais pessoas ganhando o mesmo.

Impostos deveriam, no máximo, atingir o mesmo patamar de um dízimo.  Aquela oferta Divina jamais deveria ser superada por aqueles que não dispõe de qualquer divindade, tanto na esfera governamental quanto qualquer outro brasileiro.

O Brasil, é sim, uma potência adormecida que ainda insiste em ficar "deitado"  em berço esplêndido... e como me dói a palavra ... "eternamente".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS

COELHOS NA PISCINA