FIXAÇÃO DE INFÂNCIA

Há 41 anos atrás, eu assistia um filme chamado "Bandeiras no Céu", produzido pela Disney em um horário no sábado, eu acho, que me lembro ser anunciado como "Disneylandia 74" !
O filme, originalmente com o nome de "Third Man in The Montain" (O Terceiro Homem na Montanha) me impressionou muito naquela época.  Inclusive, eu me lembro de até ter me apaixonado pela atris  Janet Munro que fazia par com o ator James Mc Arthur, ambos já falecidos.  Nem sabia à época que ela já estava morta, pois faleceu em 72 aos 38 anos...que pena. Um olhar cativante, de uma meiguice hipnótica...mas enfim...!


O filme foi apresentado em duas partes, como era o costume daqueles tempos apesar de nem ser tão grande assim.  Tratava da história de um rapaz que perdeu o pai em uma montanha tentando escalar a tal "Cidadela" que nada mais é, do que a montanha conhecida por "Matterhorn" na divisa da Itália com a Suiça, e uma das mais famosas.  Não sei se foi pela imagem, pelos mistérios, enfim, acabei ficando com aquela montanha na cabeça.  Sempre gostei de subir pedras, algumas bem altas e sem qualquer instrumento para desespero de minha mãe, embora nunca tenha sofrido nenhuma queda.

Mas os anos passam, vamos crescendo, e ... desenvolvemos nossas fobias adultas. Hoje, qualquer coisa superior a 3 metros já me trava!!!!

Mas não é que consegui achar o filme nessa maravilha de internet?  Como sempre acontece, acaba perdendo aquela "magia" que sentimos quando somos crianças.  O filme é até bem chato, com uma história morna bem típica do ano que foi feito...1958, mas consegui matar a saudade.

Embora, os exageros mostrados, pelo menos naquela montanha que não exige assim tanto sacrifício pra subi-la...até hoje, só morreram umas 500 pessoas nessa aventura.  Perto da quantidade que já chegou ao cume, a mortalidade está muito boa.  Bem diferente de outras montanhas famosas e que levam tantos alpinistas para além de seus cumes, como o nosso querido Vitor Negrete no Everest em 2006.  Quando um inglês conseguiu finalmente atingir os 4.478 metros do cume do Cervino (nome dos italianos) em 1865, teve que deixar por lá, quatro companheiros que se despedaçaram naquelas encostas quando retornavam.

Mas a história real, mesmo sem a magia do filme, também me deixa com aquela coceira inquietante.
Sei que não suporto mais alturas, que até tenho vertigens, mas que me dá uma puta vontade de, pelo menos tentar.  Estudei as rotas e acompanhei por um vídeo (Deus abençoe a internet e o youtube) , quase todos os passos para se chegar ao cume dessa montanha fantástica e quase mágica.
É uma aventura e tanto!

Fica aqui então, registrada essa minha lembrança e um desejo de, quem sabe um dia, pelo menos poder subir uns metrinhos sem que ninguém esteja olhando.

Parece ser como subir a grande pirâmide na Cidade do Cairo no Egito... mas só parece!!!!

Eis a Matterhorn, ou Cervino, ou... a "Cidadela" do filme!!!




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS

COELHOS NA PISCINA