O UIVO E O SILÊNCIO

Ainda não tive coragem para assistir um vídeo que tem rolado na net a respeito de uma enfermeira maltratando um filhote de cão. Toda vez que entro em portais de notícias, lá está o vídeo sendo divulgado com apelativos para que eu assista. Bem, não tenho receio de assistir as imagens mais nojentas e assustadoras, mas está aí um belo exemplo que eu simplesmente não consigo.

Já faz algum tempo quando frequentava o blog do Gerarld Thomas no portal ig me enfiando em suas discussões teatrais e filosóficas, quando num determinado post, ele postou um vídeo em que alguns homens literalmente "arrancavam" os couros dos pequenos mamíferos AINDA VIVOS para depois jogá-los em um monte de outros animais que ainda se contorciam sem a pele. Dizia ele que a câmara focava os olhos daqueles seres em que se viam nitidamente lágrimas de dor.

O procedimento consistia em cortar as quatro patas lá pela altura das canelas, e a partir dali, arrancar puxando totalmente o couro com o animal ainda literalmente "gritando".

Não....!

Não tive coragem de assistir, me bastou e muito, a sua narrativa.

Já foi o suficiente para me causar náuseas, batimentos acelerados e um impulso homicida que obviamente tinha que ser contido.

Sou, e sempre fui contra a pena de morte. Mas acho que uma boa pena para uma pessoa dessas era, jogá-lo dentro de um canil com alguns "Pit Bulls" ensandecidos!

Chamar esses canalhas de animais, é insultar os próprios animais. Não devem ser seres humanos também, devem estar naquela categoria dos torturadores e exterminadores dos anos terríveis por que passou a própria humanidade em seus conflitos externos ou internos.

Devem habitar o mesmo inferno do qual vieram aqueles que apedrejam mulheres enterradas até a cintura. Devem estar saindo do mesmo buraco de onde vem os estupradores, os molestadores.

Os loucos ainda obtém o meu perdão, mas esses não são loucos, não são doentes, são verdadeiros demônios.

Não suporto a idéia de ouvir qualquer desculpa de que tem de alimentar seus filhos. Isso aí, não tem filho.
Devem se duplicar assexuadamente criando novos seres abissais.

Que voltem então para o quinto-dos-infernos de onde foram vomitados.

No caso dessa enfermeira, acredito...eu espero mesmo de coração, que tudo tenha sido por algum tipo de impulso incontrolável, que não seja hábito dessa moça fazer o que fez.  Tenho esperança de que ela própria vendo a imagem, a qual eu mesmo não vi, tenha o sentimento mais profundo de arrependimento.

Existem momentos, quando sabemos do crescimento desses e de outros tipos de atrocidades, que até nos tiram a alegria de compartilhar esse mundo com pessoas assim. Dá aquela vontade de seguir o velho preceito dos "incomodados que se mudem" e partir de vez para outras esferas.

...infelizmente, tenho me sentido assim!!!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS

COELHOS NA PISCINA