O QUE NÃO ACONTECEU...

Sempre me fascino com assuntos referentes à segunda guerra mundial. Período negro da história da humanidade, um tempo que pode ser análogo à uma grande praga que dizimou milhões de seres humanos, mas também nos mostrou que nós podemos ser essa praga!

No entanto, tenho minhas interpretações de quem foram os bandidos e quem foram os mocinhos, que por certo, não estavam em nenhum dos lados.

Mas como toda ação corresponde à uma reação em sentido contrário, as potências do "eixo" iniciaram as mobilizações acreditando na inoperância dos oponentes. Acreditaram que poderiam impor sob a força, seus ideais, seus objetivos, ou suas novas visões de mundo.

Todos lembram do tirano alemão, todos lembram das bombas nucleares que puseram fim à loucura, mas quase ninguém procura realmente pensar, ou prefere não pensar, nos outros detalhes.

Não é questão de tentar ou não justificar um ou outro lado, mas não havia outra forma de por fim ao conflito.

Para que os EUA pudessem por finalmente os pés em território nipônico, alguns milhões de japoneses teriam que desaparecer. Muitos por suicídio, muitos por uma fé inabalável e doentia por seu imperador que acreditavam ser um deus, e muitos outros, por honra, ou por medo do que fariam os marines americanos com seus entes queridos, já que era posto nas mentes do povo que, para ser um marine de verdade, o tal fuzileiro teria primeiro que matar a própria mãe.

Todos viram o desespero do povo alemão frente ao rolo compressor "e opressor" russo onde o estupro e o também extermínio de alemães, devastou quase que completamente o território germânico.

Milhares fugiram para se entregarem aos aliados certos do destino que teriam nas mãos dos soviéticos.

Mas o exemplo que observaram da Alemanha em convulsão mórbida, não poderia se repetir na Ásia infinitamente mais passional, até porque as forças aliadas já se encontravam exauridas.

A cada ilha, a cada arquipélago retomado dos japoneses a custa de grande numero de vidas, outros milhares cometiam suicídio em Tóquio frente ao palácio do imperador.

Os japoneses não aceitavam a derrota, não iriam sucumbir, ou pelo menos, demonstravam estar dispostos a seguir a cartilha kamikaze ao extremo.

Sabiam o que tinham feito com o povo chinês, as atrocidades que haviam cometido contra eles, até hoje, é causa de ressentimentos entre os dois povos.

Não defendo o uso dos artefatos nucleares, mas se não fossem eles, teríamos mais alguns milhões de cadáveres pendurados nas contas de nossos antepassados.

Basta imaginar que se as mesmas bombas fossem lançadas em duas importantes cidades industriais alemãs no início das hostilidades, e não teríamos tantas destruições, nem os cerca de 50 milhões de mortos contabilizadas no período. Até Hiroshima e Nagasaki estariam salvas!

...coisas de uma história que não aconteceu...




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS

COELHOS NA PISCINA