MALANDRO É MALANDRO E MANÉ É MANÉ

Todo mundo deve lembrar de momentos na infância onde "alguém" apronta alguma coisa, provoca, e depois de alguma reação "já esperada", corre para a mãe ou para o pai reportando a pretensa "agressão".
Não somos santos, ninguém é. Eu quando criança, já fiz isso com meu irmão, não me orgulho desse fato, porém, tenho minha justificativa como todo mundo baseado na idade que vivia.

Jogadores de futebol sabem perfeitamente utilizar essas artimanhas para enganar juízes, mas tem a desculpa de estarem sendo "espertos" esportivamente, se é que se pode classificar tais atitudes como "esportivas".

O juiz não está olhando e o cara dá uma "provocada" no adversário que retribui o carinho com um pequeno safanão, então o agressor primário leva as mãos ao rosto caindo pesadamente ao solo, momento em que o juiz  oportunamente detecta o ato. Pronto!  Expulsão e o time agora pode jogar contra 10 ao invés dos 11. Pura malandragem.

Aliás, parece que malandragem passou a ser uma das maiores virtudes. Atravessou sem problemas a ponte que a separa da vergonha. Ser malandro, é ser legal, ser honesto, é ser imbecil.

E nessa toada cantada em proza e verso, o brasileiro se ergue como nação de malandros contra manés.
Ninguém quer ser mané, mas todos de alguma forma adoram ser admirados como malandros.

Só que malandros, não respeitam leis, não respeitam regras, não respeitam instituições, desde que encontrem formas de "se livrarem" das punições. Basta vermos quantos "colarinhos brancos", ou quantos homens públicos estejam cumprindo pena em qualquer presidio.

Na política então, seja o que o diabo quiser. É bolinha de papel como agressão forjada, são mentiras jogadas na mídia, e isso, de todos os lados, não é prerrogativa de um ou outro lado da questão. Assim como ocorre com dois times. Logo, o jogo será 10 contra 10 e pronto.
Quem se ferra mesmo, é o juiz.

No caso dos senhores e senhoras públicos, nós somos os juízes, nós é que somos enganados, nós e que pagamos pelo erro, nós é que sentimos o peso de suas malandragens nacionais.

Mas o ponto onde quero chegar é o seguinte.

Nesse caso do Pinheirinho...Nesse caso dessa desocupação COM ORDEM JUDICIAL, estão fazendo a maior "malandragem", isso,  para ser apenas bonzinho. Só que nessa malandragem, estão acusando instituições que por sua vez, tem de provar que são inocentes, de simplesmente um MASSACRE.

Acusam a Polícia Militar do Estado de barbárie, de violência excessiva, de matarem e esconderem os corpos, e agora o Senador Eduardo Suplicy "malandro imune" exercita a acusação de estupro de policiais contra famílias.

Ah sim! Tem também um senhor que diz ter sido agredido com balas de borracha, mas não mostrou o ferimento, não fez B.O, não fez nada, apenas ficou exibindo o objeto da agressão sorridente por onde passava.

Certos blogs mostram o caso Pinheirinho como o campo de  Auschwitz  na Polônia nos anos 40, onde os pobres e inocentes "desarmados" moradores, são o povo Judeu, enquanto que os policiais, agentes das SS comandados pelo líder Adolf Hitler representado pelo Governador do Estado.

Dizem ser esse o sistema de governo (como se qualquer governo fizesse somente isso) do PSDB, já as agressões do lado acusador...sim elas existem, e costumam até cegar pessoas, são todas DO BEM!!!

Nessa contenda entre malandros e manés para buscar já ir preparando o big brother eleitoral onde os únicos e verdadeiros "manés" são aqueles que acreditam em um, ou em outro, acabam por confiar seus votos sagrados àqueles que melhor representarem em cima do sofrimento de pessoas. Da dor real de famílias inteiras submetidas à humilhação apenas para servirem como pintura real do quadro de dramaticidade útil nessas temporadas de eleições.

Não querem que submetam seus pares à mesma humilhação com que ferem os demais, mas covardemente o fazem apenas pelo poder que podem auferir com essas atitudes.

Senhor Senador Eduardo Suplicy, se o senhor NÃO PODE PROVAR o que diz, se o senhor não está apenas jogando merda no ventilador para que uma instituição seja obrigada a limpar...A SUA MERDA, então pare de usar sua imunidade parlamentar para atitudes como essa.

Isso já está passando dos limites, e a cada dia que passa, mais me envergonho dos políticos brasileiros que tomam essas atitudes como o senhor. Acusar policiais de invadir, matar, esconder os corpos, estuprar moças durante horas para que a Instituição se vire com essa...digamos "malandragem eleitoral"  chega á ser nojento.
Isso deixa as malandragens de bolinhas de papel apenas num inocente folclore vergonhoso e infantil.

Isso é sério demais para ser usado em qualquer tribuna.

Prove o que diz, leve à juízo como em qualquer país realmente democrático e use de instrumentos sérios par a tal. A fim de que esses bandidos, esses algozes, esses criminosos da humanidade sejam realmente punidos exemplarmente. MAS TENHA PROVAS.

Senão senador...CALE A BOCA!!!!





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS

COELHOS NA PISCINA