PENSAMENTOS ESCRAVIZADOS

Com toda essa multiplicação "bloguista" se espalhando  pela  internet, fica cada vez mais fácil encontrar os famosos termos "progressistas" ou os pejorativos "reacionários".
Agora me vejo na condição de ter outra vez que escolher um lado. Isso eu não faço, não me alinho com idéias pré-concebidas, pré-elaboradas, ou pré-fabricadas, eu sou um ser pensante, dono das minhas idéias e senhor dos meus atos e sonhos.

Apesar de ser considerado por esquerdistas como de direita e de direitistas como de esquerda, vou deixando meus comentários sobre o que penso, ou como vejo as coisas ao meu modo. Embora em muitos blogs não veja meus comentários sendo publicados. A maioria de direita, é certo, mas depende muito também do dono do blog, se aceita ou não a crítica, ou o contraditório, isso já é uma questão até pessoal.

Outros já me qualificam como "murista", aquele ser que não sai de cima do muro. Teriam quase acertado, porém, esse tipo de pessoa, não opina, não se envolve, não pensa, não participa, apenas fica lá, não tomando partido, não tomando conhecimento, enfim, um completo alienado olhando as estrelas.

Prefiro apenas manter o máximo possível o bom senso e a educação para digerir diversas linhas de pensamento e criar a minha própria. Assumo em muitas vezes o papel de defesa, por exemplo. Se vejo determinado assunto sendo debatido com argumentos irracionais, ou de conteúdo "politizado" apenas com a vertente de angariar fundos e simpatias, eu caio matando. Isso deixa certas pessoas revoltadas comigo.
Como pode esse cara dizer isso? Como pode esse cara não ver ou não querer ver a obviedade que eu vejo?
Como pode esse imbecil pensar diferente?  Pois é, eu penso. Eu vejo com "meus olhos" e penso com meu próprio cérebro e consequentemente baseado naquilo que me é narrado e que não haja conflitos embutidos, tomo minhas próprias decisões.

Tanto os tais conservadores, como os tais progressistas tendem à utilizar o povo como "massa", facilmente moldável, transformável, dirigida, esculpida, tocada mais como uma manada do que respeitada como uma forma de expressão coletiva.  Aqueles que pensam e agem assim, ainda se consideram "humanistas" ou como os tais salvadores daqueles que querem retirar das entranhas do inferno.

Para isso, tanto um quanto outro lado, criam seus paraísos e infernos, fecham os olhos para os métodos que aplicam e mandam à merda se os próprios se qualificam ou não dentro de seus preceitos e ideologias.

Criticam de forma enfática métodos que depois se apropriam na maior cara-de-pau. Afinal, o importante mesmo é faturar, é dominar o público, é subjugar as massas, é mostrar que a verdade reside apenas e unicamente dentro de suas linhas, não aceitando qualquer objeção ou crítica nesse quesito.

Vejo uma crescente movimentação das tais massas sendo arregimentadas na blogosfera mais no sentido de compôr exércitos "impensantes" de Zumbis doutrinados e "amestrados" à abanar seus rabinhos ou mostrar seus dentes conforme o "maestro" em questão "batutar".

Não meus caros, não vou abanar o que não tenho, nem agredir aquele que não merece apenas para poder provar a vocês que sou aquilo que na verdade não sou. Não sou um de seus zumbis, não sou para se amestrar, muito menos me considero "moldável".  Sou como escrevi no mural de meu blog, "Um ser do século 21 que não entende de nada, ou talvez, muita coisa de tudo"...



...mas que tem sim, opinião própria.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS