A INCÓGNITA LÍBIA

Não adianta.  Já passou da linha do simples protesto, e o país do norte da Africa começa a mergulhar numa cruel guerra civíl.  Daquelas em que existem dois tipos de pessoas como protagonístas, aquelas que já morreram, e as que irão morrer. Tudo em nome de um apêgo ao poder de um ditador, líder, comandente, chefe, ou qualquer outro nome mais pomposo que se possa rotular um filho da puta desse calíbre.

Não foram milhões os valôres sequestrados pela comunidade internacional de propriedade desse senhor, mas Bilhões de dólares. Essa mesma comunidade que busca economizar vidas interferindo humanisticamente no país aplicando a exclusão aérea, impedindo assim, que petrodólares convertídos em projéteis de algumas gramas estraçalhem peitos descobertos e revoltados.

Aqui a questão agora, é quem apoia, ou apoiou Kadaffi. Quem nutría por ele algum respeito, admiração, ou sentimento fraternal! O efeito é meramente ilustratívo, e com funcionalidade apenas para se colocar bem na foto histórica da queda de mais um monstro.

Dizem que os EUA são amigos de Kadaffi, isso pode ser vísto claramente nos discursos em que esse líder tribal profere junto às janelas calcinadas de seu palacio bombardeado, que exibe também uma eloquente mostra dessa "amizade"  em uma obra definindo uma gigantesca mão esmagando um f-16 da Forla Aérea Americana.
Por certo, algum tipo de demonstração de amizade e carinho do ditador pelos "imperialístas" cruéis!

A Líbia aparece constantemente como uma incógnita!  Quem comandará o país com o desaparecimento de Kadaffi?  Como conseguirão unir as diversas tribos e etnías daquele país?
Haverá concenso?  Estarão dispostos a trabalhar em conjunto, ou irão se debelar em conflítos internos com consequências previsíveis para todo o mundo árabe?
Alguém com certeza já deve ter um "As" na manga, só espero, e desejo do fundo do coração...QUE NÃO SEJA UM "AS"  DE ESPADAS...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS