PURGATÓRIO, O HABITAT DOS CHATOS

Quem não se lembra dos tais "chatos"? Não estou me referindo aqueles seres minúsculos que costumam habitar os pelos púbicos dos menos higienizados, mas aqueles que sempre aparecem em festas, em reuniões, em salas escolares, em bares, nos locais de trabalho, nos cinemas, enfim, onde se acha que pode encontrar alguma seriedade, lá vem aquele pentelho ou pentelha encher o saco...literalmente

Costumam ser de níveis diferentes a depender do tipo e da extensão de bolas que querem apertar.

Todos devem se lembrar daqueles chatos que conheceram desde o tempo da escola, quando faziam questão de aparecer, de se colocar em evidencia com suas macaquices que de início, ainda tinham alguma graça, mas que com o passar do tempo já causavam até uma certa vergonha alheia.

Depois, o "crescei-vos e multiplicai-vos" dava um jeito de sempre toparmos com essa espécie nos mais diversos segmentos de nossas vidas. Por hora, encontraram um lugar perfeito para se multiplicarem, as páginas de comentários dos blogs.

Costumam ser do tipo que não dá pra se argumentar, estão sempre, (ou se acham) sempre com a razão.

Como dizia um personagem de um livro que li quando ainda mais jovem.

-"As chatas, são bichos muito esquisitas e estão sempre com a razon, mas o mais importante do vida, nom ser ter ou nom ter razon, o mais importante no vida é nom ser chata"!


Essa, foi uma das primeiras frases com algum sentido que li e que guardei comigo desse personagem "gringo" que não falava muito bem a nossa língua.

Por algum motivo, sempre procuramos manter alguma tolerância com esses pobres coitados, até porque devem ter algum tipo de distúrbio neurológico que os impede de tomar o tal de "Simancol".

São os espelhos dos espelhos, aqueles que apenas refletem uma profundidade que na verdade não existe.

Se quebrar a fina camada de aço, nada mais resta.

Quando em bandos, o que graças ao bom Deus, é raro, fatalmente praticam o tal "bullying"  atazanando um coitado qualquer, mas na grande maioria das vezes, estão sempre ou quase sempre sós. Não se aturam nem a si próprios, fazer o que?

Eu sei que muitas vezes nós todos já fomos chatos, sofremos períodos durante a existência em que experimentamos "torrar os sacos alheios", mas assim que passamos esse período, ou também conhecido como "fase", então crescemos...evoluímos, seguimos em frente...OS CHATOS NÃO!!!

Não querem evoluir para um carrapato, para uma pulga, para um percevejo que seja. Preferem continuar lá "pentelhando os pentelhos" eternamente.

Jamais irão para o céu ou para o inferno, pois serão sempre com toda a certeza, os maiores obreiros do tal "purgatório"...

Portanto, seja muito muito mal, ou muito muito bom, para ter a certeza de não encontrar mais desses seres quando sair desse mundo!






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS

COELHOS NA PISCINA