PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DOS ROLEZINHOS

Impressionante;  Hoje em dia qualquer que seja uma movimentação que ganhe alguma notoriedade na imprensa já é quase imediatamente politizada.  Se um grupo de jovens de classe média resolve marcar um agrupamento num shopping para dar umas "azaradinhas" nas meninas, quase instantaneamente outros grupos se formam para rir alto, outros, para dar uma corridinha, e entre um ou outro, como sempre, aparecem aqueles oportunistas que se escondem no meio para dar uns tapinhas aqui, jogar outra coisa ali e pronto. Já está armada a "LUTA DE CLASSES" . Obviamente os ideologistas de plantão resolvem alimentar os eventos e incutir-lhes um caráter revolucionário onde o pobre só quer reivindicar seu direito também ao consumo. Onde o gay quer reivindicar seu direito também de frequentar o local, onde o afrodescendente quer também usufruir desse direito, enfim...todos resolvem marcar encontros para demonstrar o quanto tem
sido "discriminados" nesses templos do consumo. Aí o "casual" acaba se tornando um protesto de proporções jurídicas e efeitos devastadores para a economia do setor. Um carnaval despropositado onde nunca houve qualquer impedimento, mas que agora há, apenas porque resolveram "politizar" a atitude.

E mais uma vez os governantes - através de seus asseclas distribuídos em pontos chaves - iniciam  uma batalha divisora para obterem lucros eleitoreiros através da "manipulação" de grupos que se tornam "massas".

Pois é...quem não gosta de política, quem não liga pra política....quem não está nem aí para isso, agora é obrigado a suportar essas guerras até onde pretendia relaxar.  E a tendência é piorar ainda mais esse ano.
Quem estiver planejando se divertir na copa assistindo aos jogos nos estádios, ainda corre o risco de encontrar esses "grupos" diversos pelo caminho.  Estão crescendo e se alimentando através de ideologias falsas que lhes incutem e facilmente ganharão vida própria, seguido do habitual completo descontrole.

É justo protestar?  É! ....É justo reivindicar?  Sim, é justo!  Mas onde?  Se um determinado grupo resolver invadir as igrejas durante as missas incomodando os outros e forem impedidos de retornar pela polícia, então berrarão pela discriminação?  Dirão que Deus agora é homofóbico, racista, ou tem preconceito social?

A safadeza com que estão transformando os movimentos espontâneos e inocentes em legiões divididas e antagônicas é de uma estupidez até criminosa.  No mínimo um incentivo ao crime. As reivindicações absurdas de direitos que até aquele momento nunca foram negados, se transformam num paradoxo onde ninguém se entende. A justiça não entende, os invadidos não entendem, os que protestam não entendem.

Quem?   QUEM ganha com tudo isso?  E por que?

Talvez a resposta esteja  em algumas perguntas; . Em que Estados isso acontece? Qual o interesse em que isso aconteça e que as entidades jurídicas sejam obrigadas a emitir liminares ou o uso da força?  Aliás, nada mais natural durante um protesto ou tumulto. Por que as respostas na imprensa são tão rápidas? Com o uso da força policial que pode, as vezes, também fugir do controle, a quem querem culpar?

Para mim, isso se chama "agitar as massas"  tocar a manada para que, ela estourando, faça os estragos necessários e fim.

...só que as manadas divididas estão fugindo ao controle e se espalhando por todo o país.  Até mesmo onde NÃO QUEREM esse descontrole.   Fazer o que???

Se não tiver copa,  será nada mais do que um. efeito colateral!






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS