QUANDO A LADEIRA ACABAR

Alguns dias atrás eu tive que deixar meu veículo no mecânico para alguns reparos de fim de ano. Não tendo outro carro para circular e necessitando mesmo de um ,  mesmo que para apenas deslocamentos de casa para o trabalho e vice-versa, aceitei o que ele me ofereceu.

Um genuíno e surrado representante da década de 1980, pra falar a verdade, mas parecia do final da década de 1970.  Uma belina branca. O motor até que estava bom. Só não tinha bateria, os vidros não fechavam, a chave estava perdida sendo utilizada uma mixa "provisória" feita com o cabo de uma colher, os bancos parecendo que foram castigados por um cão, além de outros milhares de detalhes e aspectos que chamavam a atenção para os "alegres" comentários depreciativos que ouvia dos outros motoristas.

Tudo bem, não sou arrogante.  Embora me sentisse um excluído naqueles momentos em trânsito.

Os fatores referentes à segurança estavam em ordem, e isso já me bastava.  Somente uns dois dias não iriam me matar nem fariam com que matasse alguém.

Rodando com esse "velho Ford", de repente me vi numa situação parecida com o nosso Brasil.  Cheio de gambiarras, dispositivos provisórios, enfim...assim como a propaganda exalta um crescimento que não existe, aquele carro também desenvolvia.  Ao menos estava andando.  É certo que de vez em quando para pegar precisava dar umas cacetadas no motor de arranque ou uma "empurradinha", mas estava rodando.

Tive que usar a bateria do meu carro, calçar os limpadores de pára-brizas com papéis de maços de cigarro e emprestar o meu macaco para circular.  Documentos?  Esquece....segundo o mecânico estavam em ordem mas com a ex-mulher dele e pegá-los....nem pensar. Melhor falar para o guarda "puxar" pelo rádio.

Incrível como alguns tem uma visão otimista.  -" olha só como está bom esse carro.."   - "é melhor do que andar de transporte público"...(nisso eu até concordei)....  - " vai que você consegue se adaptar rapidinho...
Bem... Não me atrevi a ser "realista" como costumo ser nos assuntos em que se envolvem políticos e políticas de governo.

Sobrevivi ao empréstimo, não fui multado, e recuperei meu carrinho arrumado. O Corsel belina foi depois vendido por astronômica quantia de 2.000,00 a outro "otimista" da vida!!!!   Desses que continuam aplaudindo tamanhos sucessos do governo.

...enquanto estiver andando...
...tudo bem...

O problema é...quando a ladeira acabar!!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS