QUE PODER É ESSE?

Já dizia o "poeta" que quanto mais se mexe na merda, mais ela fede! Estou no meio da leitura do livro "Privataria Tucana" de Amaury Ribeiro Junior, presenteado por minha filha já que um outro romance que eu havia pedido não tinha.


A principio, nem havia interesse meu nessa obra, mas para desencargo de consciência e também ouvir o "outro lado" daqueles que somente ignoram as informações ali contidas, resolvi topar a leitura.

Realmente, existem no livro informações bem interessantes, isto é, se forem apreciadas por alguém que procure se ausentar de partidarismos. O próprio título da obra já expõe um certo "lado" do autor, mas tudo bem, sou do tipo que não me importo com quem está falando, mas sim, "o que" está falando, isto serve também no caso de "escrevendo". Se Hitler disse alguma coisa com sentido ou boa em sua carreira, não devemos condenar seu dito apenas por ter sido ele quem foi. Isso é só uma questão prática.



Até agora não vi às tais provas que tantos disseram, mas sim, indícios bastante apreciáveis, reveledores e de difícil negação.



Até agora também ainda não vi nenhum tipo de movimento de reação à publicação do mesmo, só ameaças de processos, gritaria, espasmos bloguistas, acessos da militância, mais nada concreto. Uma CPI, me parece, iria ser aberta para "elucidar" as informações contidas naquelas páginas cheias de ACUSAÇÕES DIRETAS.



Mas quem ler o livro sob uma ótica mais, como diria, apartidarizada, irá entrever a sutilidade daquilo que ele não "sublinha".



Primeiro; O único barulho real até agora sobre a tal publicação, foi orquestrado apenas e tão somente pela militância partidária.



Segundo; As informações contidas no livro, são altamente, estupidamente, enfaticamente acusatórias de forma direta, concreta e objetiva, mas até agora, até onde estou sabendo, não houve sequer qualquer atitude processual contra o autor, somente ameaças e esbravejos, o que demonstra indubitavelmente que alguns "rabinhos" estão realmente presos. (pena que somente os rabos).



Terceiro; A militância também esbraveja, mas seus "superiores" não movem uma palha, ou pior, até evitam que o assunto avance muito.... olha mais rabinhos presos aí!!!!



Quarto; Diversos trechos no livro, ilustram as movimentações suspeitas dentro de todos os segmentos da política nacional, e não só apenas às privatizações, talvez a razão pela qual esse silêncio ensurdecedor de todos os lados, com exceção da militância obviamente!



Quinto; Também é citado no livro sobre o tal mensalão que querem por que querem ver transformado em mera política golpista contra o governo. Ou seja, nunca existiu.



Esses são somente "alguns" exemplos bem interessantes que pude observar até agora, com certeza, outros virão.

Posso provar o que digo quando cito um trecho publicado no início de um capítulo na página 63

-----x-----

"...-Após sucessivas prorrogações, a CPMI do Banco do Estado do Paraná, ou CPMI do Banestado, encerrou seus trabalhos no final de 2004. A ocasião foi saudada gastronomicamente com uma imensa e suculenta pizza que delimitou a área de ataque da situação e da OPOSIÇÃO. E segurou o ímpeto de uma e de outra. Os "DOIS" lados, então, optaram por um PROVIDENCIAL ACORDÃO, que acabou ABAFANDO as movimentações financeiras no exterior por parte de caciques das DUAS TRIBOS. (...)!!!!"""

-----x-----





Existe um outro também na página 75 em seu primeiro parágrafo que ilustra bem a questão do porquê apenas a militância "trabalhar".



-----x-----



..."- Em março de 2004, Morghental entregou o mesmo CD a uma comissão de deputados da CPMI do Banestado que fora aos Estados Unidos catar evidências sobre a movimentação bancária de brasileiros no exterior. Ao analisarem os arquivos, os assessores depararam-se com material mais explosivo do que aquele contido no antigo Banestado. Esmiuçadas em uma planilha, as operações do MTB Bank apontavam para empresários, traficantes, contrabandistas e POLÍTICOS. A revelação dos dados do MTB foi determinante para que fosse desencadeada a ""OPERAÇÃO ABAFA"" na CPMI. Os arquivos ocultavam informações capazes de "constranger" tanto o governo LULA quanto o de FHC...."



-----x-----



Ainda estou no meio do livro, mas posso ter uma pequena ideia, ou melhor, novamente uma constatação de como são nossos representantes na arte de nos representar, independentemente de partidos ou ideologias. Esses são apenas rótulos atrás de siglas e nada mais.



Quando surgiu o escândalo do mensalão, (aquele que nunca existiu) só houve barulho de militâncias pró oposição e militância contra a imprensa "golpista". A verdadeira oposição, pouco ou nada se mexeu. Agora com essas denúncias, o "movimento" se repete, embora em vias contrárias, a militância da situação esbraveja, a imprensa tenta esconder, mas a verdadeira situação se cala num silêncio cúmplice daqueles que de alguma forma não só conhecem, mas costumam também percorrer os mesmos caminhos citados na obra do jornalista Amaury Ribeiro Jr.



Basta juntar os valores de um e outro escândalo, sempre convenientemente NÃO PUNIDOS e com a benção dos opositores cúmplices, para se responder aquela questão que atormenta tantos brasileiros.



..." Por que cargas d'água, esses políticos gastam fortunas para serem eleitos, se afinal de contas, se forem juntar tudo o que ganharem "honestamente" durante o exercícios dos seus mandatos, não conseguem recuperar sequer uma mínima fração desse gasto???



Parafraseando um grande líder indígena norte americano questionando o grande pai branco em Washington..."""- Eu sou burro e não entendo!!! Como pode alguém investir 1000 para ganhar não mais do que 10????..."""







...continua!!!!





(infelizmente)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS