AS UNHAS QUE FORRAM OS CARPETES

O cidadão comum, aquele que estuda, trabalha, produz algo de bom para ele e consequentemente para a sociedade, segue normalmente sua vida. Após suas obrigações, vai para o futebol, tv, livros, teatro, restaurantes, enfim, encontra diversas maneiras de aproveitar o tempo merecido de descanso para continuar sua vida honesta de trabalho e aprendizado.

Algumas pessoas não gostam de futebol, preferem novelas, outras os "big brothers" da vida, e a vida vai passando.  Não existe nada que possa lhes perturbar essa rotina.  Com exceção do famoso "período eleitoral"
O cidadão passa então a receber em sua casa, em seu carro, em todos os "out doors" por onde passa, as "mensagens carinhosas" daqueles seres "diferenciados" que se dizem exatamente "iguais" a ele.

Tudo poderia passar batido: muitas vezes até passa, não fosse o fato desse cidadão estar sendo lesado, sugado, enganado todo esse tempo. Tudo o que for consumido e usufruído pelo tal cidadão, reverte uma parte para sociedade com o nome de "impostos", e também "taxas" etc...!  É a forma correta em que a sociedade escolheu para manter a ordem social.  Porém, é também necessário que pessoas se responsabilizem por toda essa arrecadação e a apliquem para onde realmente são necessárias. Chamamos essas pessoas de "políticos". São aqueles que se prontificaram à executar essa administração. Na minha opinião, deveriam ser técnicos especializados na área, mas nesse caso, qualquer um serve. Desde filósofos, até empresários. De operários a empresários, enfim, uma democracia é construída em cima de bases que permitam que qualquer um possa ter condições de administrar uma Cidade, um Estado, ou um País inteiro. Contam para isso com um verdadeiro exército de "ajudantes". Esses, ocupam cargos de assessoria, secretários, consultores e técnicos. Ocupam cargos de confiança. Recebem somas apreciáveis para desenvolver suas funções e podem até ser bandidos já que cargos de confiança podem ser preenchidos por qualquer um, desde que desfrute da "confiança do contratante"!

Montada a "quadrilha" podem então usufruir dos esforços dos cidadãos! Até hoje não vimos um...um único político cumprindo pena por qualquer crime. Mesmo os legitimamente condenados.
Talvez não houvessem tantos problemas se fôssemos um país onde os impostos fossem baixos e os recursos bem aplicados. Talvez não houvesse tantos problemas se a profusão de escândalos não ultrapassasse o limite do razoável. Talvez nem fosse tão pernicioso para a sociedade, se os valores subtraídos, desviados, embolsados, sumidos, pudessem reembolsar os cidadãos.  Mas não é!

É tudo tão cristalino, tão claro, que basta o cidadão deixar de acompanhar um pouco as novelas, os bbb's, o futebol,  que vai perceber nitidamente como está sendo roubado, tanto por políticos inescrupulosos, como por empresários, banqueiros etc.

Isso evidentemente, incita outros políticos, aqueles que, ao menos, pretendam seguir um rumo honesto em suas vidas  a também "entrar na roda". Esse incentivo à impunidade agracia a todos. Por que ir contra tamanha tentação? O ser humano é falho. Cada um tem um preço que pode ou não surgir na frente dependendo da circunstância, oportunidade, motivo...!  Nosso sistema atual, privilegia os maus, e pune os bons. O bom político não consegue progredir, o mau político chega às alturas. O bom político, quando finalmente se dá conta do absurdo, desaparece. O mau político se perpetua. O bom político percebe que: ou aceita fazer parte da quadrilha, ou se vê obrigado a por o rabo entre as pernas e sumir.

O mal já está impregnado de tal forma no "sistema", que parece não existir uma forma de extirpá-lo sem custosos danos à sociedade. Um exemplo claríssimo está nessa CPI aberta para o caso do ex-Senador Demóstenes Torres até poucos dias atrás, considerado um dos poucos baluartes da dignidade e seu envolvimento promíscuo com um contraventor, um bicheiro!

Só que: depois que começaram mais uma daquelas peças teatrais também conhecidas por "investigações",  acabaram descobrindo que as ramificações criminosas do tal contraventor, estão num teia complexa e de extensão indescritível que abrangem praticamente todos os pontos da Nação. Conseguem até atingir outros países, e pior, países completamente fechados em regimes obscuros e assassinos.

O cotidiano caso de corruptor e corrupto então acaba até por quase desaparecer e perder a importância.
 Tamanha a quantidade de pessoas envolvidas, ou em processo de se descobrir seu envolvimento, que não há outra coisa a fazer para "proteger a espécie" da extinção, do que começar os tais processos de BLINDAGEM.

Esse complexo processo começa a aparecer todos os dias. Trocas de mensagens, redirecionamentos de investigação, reposicionamentos, mudança de estratégias, enfim...esse é o tal desespero que citei no post anterior sobre as "unhas que forram os carpetes".

Nessa guerra suja, tentam envolver outras pessoas através de mentiras. Pessoas que não trabalham com o dinheiro do cidadão são catapultadas para dentro da roda a fim de claramente desviar o foco. Uma dessas pessoas, um tal de Policarpo Jr, foi acusado de ter : Primeiro - Participado de 200 conversas por telefone com o contraventor.  Segundo  - Ter auferidos ganhos espetaculares com isso.

Dois delegados depoentes logo no início dos trabalhos, já tiraram essa mentira de lado, provando haver apenas 2 telefonemas e ainda tratando de assuntos de jornalista e fonte.

Nessa novela que começa os primeiros capítulos com jogos de censuras, blindagens, proteções, ocultação de verdades e profusões de mentiras, vão fazendo o jogo sujo soterrar qualquer possibilidade de investigação mais séria. Crime é crime, não importa quem o praticou, a lei é para todos. Ninguém está acima da lei, nem mesmo seus criadores ou responsáveis por suas aplicações.
Eu, como cidadão, pagador de impostos caríssimos, taxas de juros pornográficas, me sindo insultado por aqueles que se dizem me representar.  Apesar de vê-los claramente em desespero optando por apagar todas as provas, limpar toda a sujeira e jogá-la para baixo do tapete (como sempre) , ainda tenho esperança de que essa CPI tome rumo. Não o rumo "dirigido" pelo qual eles querem, mas o rumo pelo qual todos nós pagamos muito caro para que se siga.

Se a República tiver que ser chacoalhada em função de se re-estruturarem todos os perniciosos mecanismos de governos, então que seja. Se garbosos "intocáveis" tiverem que se expôr a execração pública merecida, que sejam. Todos já pagamos um preço por tudo isso. Um preço demasiadamente caro e, temos o direito incontestável de VER, OUVIR, SABER, E SENTIR como tudo tem funcionado sem o nosso conhecimento. Sem o nosso consentimento.

A sociedade merece uma resposta clara. O povo precisa conhecer os órgãos atingidos pela metástase desse câncer que nos devora há muito e muito tempo.

Diante desse quadro, pode ser lindo, bonito e até maravilhoso se declarar "contra a corrupção", o difícil é se declarar contra a "impunidade".  Porque, quem se declara contra ela, se vê na obrigação de exigir a verdade, mesmo que essa verdade exponha aqueles a quem ainda admiremos.  Independente de partidos, siglas, ou ideologias.  Quem se compromete com a verdade dos fatos, não se conforma com qualquer tipo de blindagem ou tentativa de poupar um possível  criminoso. Quem se compromete com a verdade, exige que se apurem os fatos... "verdadeiros".

Já aqueles que se comprometem com as mentiras, sempre estão fazendo suas defesas absurdas e capengas com intuito apenas militante. E ainda se dizem folcloricamente  "contra a corrupção".

Acho que já passou da hora do cidadão crescer. A época de acompanhar futebol,  novelas e bbb's  ficou na infância social. É hora de crescermos como povo. De assumirmos uma posição clara e independente de partidarismos.

É hora de tirarmos os narizes-de-palhaços e mostrar a verdadeira força que temos. Se não puder ser através do voto, alimentando ainda mais a cadeia perpétua corruptiva, que seja NÃO USANDO o voto como protesto pura e simplesmente.

Delegamos poderes demais a esses que se consideram "deuses". Alimentamos demasiadamente suas entranhas. Deixamos eles gordos, letárgicos, presunçosos e preguiçosos.

É hora de conscientização, de protestos. Não adianta esperar por protestos de classes. Temos que; através da internet, expôr nossos verdadeiros sentimentos como brasileiros. Se somos um povo com alguma identidade, então, que a mostremos a eles agora.  Não precisamos fazer isso com amontoamentos nas ruas, mas nas redes, e de forma educada, simples, objetiva. Sem agressões, sem medo, sem interesses que não sejam os dos reais interesses "do cidadão", não o do "político".

Essa raça política atual, só manipula os comportamentos de seus asseclas partidários. Política não é futebol, não é BBB, não é novela. É um mecanismo que o cidadão dispõe ao seu serviço e de mais ninguém em particular. Estão invertendo as coisas na nossa cara outra vez e de forma ostensiva!!!!

Uma CPI não tem poderes de polícia, mas pode chamar a polícia, ou ao menos, pode mostrar onde as coisas estão mais podres.  Já estamos cansados de sentir o cheiro de podridão. Por uma questão de justiça então, que se mostrem onde o delicado tecido do organismo público em todas as esferas está necrosado.

...para que o Tigre possa então...




                                                     ...resolver o problema...!!!!!!
                                                         





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS