É MELHOR CANTAR DO QUE CANTAR MELHOR

De vez em quando os programas na tv aberta até que são interessantes. Recentemente assisti, ou melhor, acompanhei a evolução e finalização do "The Voice Brasil"  e, sinceramente, achei um espetáculo. É lógico que se trata de uma competição entre profissionais e não calouros. Mas isso dá um toque mais sério ao programa. Eu torci muito pelas meninas. Me encantei de cara com a Bruna Goes em sua participação solo cantando "Ploud Mary" do grupo Creedence; ainda assisto o vídeo sempre. Também me entusiasmei com muitos outros que se apresentaram.  Mas outro vídeo que não me canso de assistir, foi a batalha entre Rully Anne contra Júlia Tazzi  se apresentando com o sucesso "Girl on Fire" de Alicia Keys.  Rully sem dúvida mereceu ganhar a disputa, mesmo com o brilho indescritível de Julia. O programa por vezes empolgava a tal ponto que me erguia do sofá  boquiaberto e com lágrimas nos olhos. Parecia que estava torcendo por todos e, de certa forma estava mesmo. Mas o espetáculo que cada um deu naquelas noites de quinta me voltaram a fazer o que já não fazia há algum tempo.  Cantar....acho que muita gente deve ter feito o mesmo. Eu sempre gostei de cantar, só que, ao contrário do famoso chuveiro, eu canto no trânsito. Antes eu berrava pelas ruas de Sampa protegendo os outros motoristas e pedestres com o invólucro do meu capacete enquanto acelerava. Hoje já ficou mais difícil essa proteção, até porque de carro e com os vidros abertos, sempre tem aqueles que ficam olhando assustados he he he...Não tô nem aí.  Uma das minhas maiores frustrações na vida, foi não ter talento para o canto nem para o desenho. Não adianta insistir, ou tentar aprender...é preciso talento...ter o dom; senão não adianta. Quem sabe na próxima vida!!!!

Mas agora vem aquela já saturada porcaria de Big Brother...!  Que pena que não investem mais em novos talentos. Existem tantos brasileiros perdidos por aí.  Não só na música, mas nas artes em geral. Um programa como esse BBB não acrescenta nada, só irrita as pessoas. No máximo um incentivo à masturbação juvenil pelas belas bundas e tetas artificiais, e é só.

Porém, graças a internet e ao "tio tube" estou conseguindo karaokês fantásticos dos sucessos antigos que sempre gostei de "rasgar" nas ruas.  Assim, acho que não vai ficar mais tão assustador soltar a voz com acompanhamento musical adequado.  Afinal de contas, eu me lembro bem de quando emocionei minha ex cantando B J Thomas e sua "Rock and Roll Lullaby"  há 27 anos atrás.  Cantando a seco e sem acompanhamento algum...ah o milagre do amor rsrsrs.

Hoje já seria diferente e talvez eu melhorasse um pouco com um sonzinho igual a esse aqui;



...quem sabe eu ainda não dê outro espetáculo especial pra alguém novamente...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS