O PRIMEIRO PÔR-DO-SOL.

Nesses dias, eu acabara de chegar e lía as notícias nos portais, acompanhava alguns blogs, quando de repente minha filha mais nova a Jennyfer com seus 20 aninhos me chama para apreciar o tal "eclípse".

-"Vem pai, vamos subir na casa pra poder ver melhor!!!"
- Já tô indo filha! - Respondi enquanto me levantava para buscar o "óculos de sol"...

O que é a distração não é mesmo?  Em todos os lugares dizía "eclípse lunar", e eu naquela pressa nem levei isso em conta. Eclípse para mim, é no sol. Ver a lua escura não tem graça, eu quero ver o sol escurecer...isso sim, é divertido!

Subimos eu e ela para a laje, e ficamos à espera do acontecimento.
Lá no horizonte o astro rei se retirava lentamente puxando para sí toda a luminosidade que emprestara como um manto à terra. Fazia isso lentamente...bem lentamente, com aquele cuidado de pai para não incomodar o pequeno filho.

Nada....!   Nenhuma manchinha sequer naquela enorme bola.

Nós dois na laje observando o horizonte já alaranjado e sem a presença visual do enorme rei.

Aquele silêncio então é interrompído por ela...

- Nossa pai! Eu nunca tinha admirado um pôr-do-sol assim...
-É lindo mesmo né filha?

-É...Esse, acho eu, é meu primeiro pôr-do-sol!!!

E ficamos alí juntos mais um pouco...pai e filha completamente esquecidos de que o espetáculo tão anunciado acontecia naquele mesmo momento às nossas costas!!!

Mais tarde, quando fui à padaría, na volta, contemplei a lua no céu.
Ainda estava parcialmente coberta pela sombra da terra...e então ví aquele famoso "sorriso no céu"

Fazer o que!!!

...sorrí de volta...!

Comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Sanatório Brasil

    O quiquié que foi chamado de, é, sigilo de orçamento?

    Você quer mesmo saber por que a Câmara aprovou, a pedido do governo, a tática do “treino secreto” para o timaço que está na jogada da Copa de 2014? Ouça a presidenta com atenção, como o Tinga ouve a preleção do Felipão:

    “Trata-se do seguinte. É inclusive integrante das melhores práticas do OCDE e da União Europeia. Pra evitar que a pessoa que está, o licitante, né, quem está fazendo a oferta, utilize a prática de elevação dos preços e de formação de cartel, qual é a técnica que se usa? Você não mostra pra ele qual o seu orçamento. Mas o, quem te fiscaliza sabe direitinho qual é o valor. Aí cê faz a licitação. Aí quiqui acontece? Ele não vai saber qual é o preço que cê acha que pode pagar. Isso significa que ele vai dar um preço menor. E se der fora de orçamento, o órgão de controle sabe que deu fora do orçamento. E além disso ocê explicita o orçamento na sequência. Eu lamento a má interpretação que se deram (sic) a esse ponto.”

    Depois dessa explicação meridiana, cartesiana, republicana, é mesmo de se lamentar a interpretação que “se deram” ao Regime Diferenciado de Contratações. É verdade que, nessa defesa da tática RDC feita pela presidente, houve farta distribuição de caneladas, furadas e bolas murchas pelos craques que atendem pelos nomes de “pessoa”, “cê”, “ocê” e “ele”: quem é quem nesse jogo?

    Mas só mesmo por má-fé, ou má informação, alguém poderia desconfiar da lisura na contratação no escuro de obras desse vulto no Brasil. Se nos Pan-Americanos de 2007 foi aquela roubalheira desenfreada, e era tudo às claras, que tal darmos uma chance ao não-sabido?

    ResponderExcluir
  3. Mais um prêmio para inglês ver esse que o apedeuta ganhou. Na realidade, os planos minha casa minha vida não entregaram nem 10% das casas prometidas, luz no campo continua uma vergonha, nem nas cidades o fornecimento está prestando, e quanto a fome, bem, todos sabem que a carga tributária brasileira favorece muito mais os ricos do que os pobres, esses sim, sem possibilidades continuam tendo que arcar com os nossos 41% de tributos para mor rer nas filas do SUS de Dengue, epidemia de 3º mundo......

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS