A DIFICULDADE DE TENTAR SER IMPARCIAL

Domingo, dia de jogo, e jogo importante. Voce é convidado pelos amigos pra assistir. Apesar de detestar futebol, fica pensando nos convítes, e em qual vai aceitar. Os dos amigos corinthianos, ou dos amigos palmeirenses?
Que merda!

Isso ocorre com frequência, inclusíve na política. Ah! A política!
Ninguém me convida pra nada, nem tampouco querem saber a minha opinião, mas com essa onda de blogs na internet, isso acaba virando um verdadeiro "CAMPO MINADO".
É quase como briga de filhos, ou filhas. Minhas duas estão quebrando o pau, e tento ser o mais inparcial possível. Mas sempre uma delas sai magoada.
Esse é o ponto "G" das paixões! A passionalidade das questões político-partidárias, impôe que sejamos discretos, cuidadosos, e de preferência CALADOS para não ocasionar uma verdadeira "revoada de cadeiras".
Há muito tempo, ou melhor, uns quase dois anos, resolvi participar de um blog na net. Chama-se "Balaio do Kotscho" Cujo autor, é o Jornalísta Ricardo Kotscho, o qual trato apenas por Ricardo, pela minha dificuldade em "organizar as consoantes típicas de nomes e sobrenomes estrangeiros. Acha engraçado? Tente soletrar de memória o sobrenome do atual governador da Califórnia. Ou o nome daquele vulcão que causou o apagão aéreo europeu!

Simplesmente sou uma pessoa que não gosta de ficar calada. Tenho minhas opiniões, e não as guardo somente para mim. Mas procuro ser justo ao máximo. Tanto para um lado, quanto para outro.
De qual outra forma podería então saber se minha opinião faz ou não sentído?
Só mesmo através das discussões que elas fatalmente ocasionam, é que tenho aprendido muito nos ultimos tempos.
Somente enfiando a cara no meio da briga, é que se pode levar os "tapas", e devolver se for o caso, com mais coerência, ou se recolher reconhecendo que estava errado, ou se excedeu.
Não vejo outra forma de adquirir conhecimento melhor do que este.
Os tímidos. Os medrosos, nunca se arriscam em suas opiniões, e por isso mesmo levam suas vidas até com certo sucesso, mas recheadas de mediocridades.

Tenho excelentes amigos "garimpados" nesses combates verbais. Uns, ferrenhos defensores mas com argumentos convincentes. Outros, apenas defensores porém sem muita argumentação.
No meu cartáz de solicitação de amizades, não consta nenhuma questão negatíva sobre meus pretensos amigos.
Alguns podem agora dizer! Ah! Mas voce disse num post anterior que é HOMOFÓBICO.

Não! Eu não SOU homofóbico, estou tentando corrigír esse defeito. Tanto que já adquirí coragem para expôr esse defeito em público. Já é um começo.
E quem pode me criticar? Alguém aqui ou lá, ou em qualquer outro lugar pode dizer que é santo? Ou que tem aqueles DEFEITOS tipo. "Perfeccionísta" "Caprichoso". e outras merdas curriculares tão óbvias e batídas?
Todos temos defeitos, e virtudes, mas ninguém. Repito NINGUÉM é politicamente correto!.
Portanto se algum amigo meu é gay, não se preocupe. Basta não vir com "feminilidades" e pronto!
É óbvio que gosto de brincadeiras. Não levo á sério, quando o assunto não é sério!

Só estou escrevendo isso, porque logo esse blog poderá ser visitado por pessoas que não me conhecem direito. Assim como eu mesmo!

Voltando ao assunto do "Apartidarísmo". Estamos entrando num período de "guerra eleitoral" Eu digo GUERRA, porque pelo que tudo indíca, vai ser uma guerra mesmo.
Vai haver jogo sujo de ambos os lados, e todos os dois irão negar o próprio, e apontar o oposto.
Exageros serão cometídos aos montes, e no caso dos próprios defeitos, serão minimizados ao máximo.
Isso que me "enoja" na política brasileira.

Essa "deusificação, ou "demonificação" de personalidades apenas para que recebam toques em suas numerações da urna eletrônica.

Até outubro, os debates serão sangrentos, apelatívos, agressívos, e irão causar o maior dano possível em pessoas mais sensíveis.
Muitas amizades serão danificadas, ou completamente destruídas, se não forem tomados certos cuidados. E no fim, seja qual for o resultado, o vencedor receberá os cumprimentos do perdedor, e a vida continuará. Ao menos por mais 4 anos.


Quero tocar a minha vida, sem depender de governo nenhum. Agradecería, e muito, se ao menos não me atrapalhassem mais. Que não dificultassem tanto as coisas.
Meu projeto de vida, não tem uma aposentadoría paga pelo governo. Tenho planos de criar a minha própria.
Infelizmente não tenho como me "desvincular" dessas obrigações impostas, mas com certeza faço o máximo possível para "neutralizá-las".

Uma coisa porém eu digo com toda a certeza. "Infelíz do país que tem que escolher o MENOS PIÓR". O menos incompetente, e o que tem menor grau de prejudicialidade.

O povo, é somente o gado, que agora tem de escolher o lobo, ou a hiena para ser o seu pastor. Que triste escolha.

Somente pode ser mudado esse quadro, quando as eleições forem livres, e não obrigatórias. Sendo assim, escolherei meu candidato sem a interferência "putrefata" das maiorías facilmente compráveis, enganáveis, moldáveis, e dirigíveis.

Enquanto isso teremos que engolir ou "BRASIL UM PAÍS DE TOLOS", ou aquele que "PHODE MAIS". ...e viva nóis!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS

COELHOS NA PISCINA