O COMPLEXO DIREITO DE IR, E VIR.

Somente quem passa algumas preciosas horas do dia preso dentro de um "invólucro de lata", pode avaliar o quanto se pode perder o indivíduo, a sociedade, e o país, nos grandes congestionamentos urbanos.
Em um mundo cada vez mais "dinâmico", em que o tempo é extremamente precioso para cada um, uma verdadeira enchurrada de veículos é despejada diariamente nas já "saturadas" vías das grandes cidades.
Um labirínto de ruas, vielas, avenídas, túneis, cruzamentos, viadutos, trêvos, travessas, elevados, enfim, um verdadeiro inferno dígno de enlouquecer até um "GPS".
Já disseram que o motorísta brasileiro, é o que mais se perde no mundo.
Também! Com tanta falta de sinalização, buracos, desvíos, e uma engenharía de tráfego que não chega a um consenso!
Somos literalmente "sequestrados" todos os dias. Se somarmos esses sequestros, em um ano, passamos uma boa parte dele, nesse "cativeiro".
Não há solução que resísta a um pensamento de que "crescimento" seja somente vender carros.
O termômetro principal da saúde financeira de um país, parece ser a "venda de veículos".
Não que todos sejam obrigados a "usufruír" do transporte público, sempre abarrotado, desconfortável, inseguro, insalúbre, e profundamente caótico.
Mas o fato de famílias possuírem tres, quatro, ou até cinco carros, onde isso irá nos levar?
Nossas ferrovías foram sucateadas. Enquanto o mundo inteiro caminha em sentído contrário, vamos dando o "nosso jeito". Elaborando projetos que não saem do papel, e quando saem, estão com décadas de atraso.
Finalmente então, uma estrada é construída. Ótimo! Maravilhoso! Vamos pedagiar?
Nada mais justo. Afinal esse benefício é realmente interessante.
Mas quanto vai custar esse "benefício"? Ah! Aí a conversa é outra.
Voce vai ter que "pagar" o resgate pra sair daquele cativeiro que falei antes.
Pedágios, são necessários, desde que nos ofereçam opções. Desde que tenhamos "rotas alternatívas" e em boas condições, como reza a CF (Constituição Federal), desde que os prêços cobrados sejam JUSTOS!.

Acho que não exíste nada mais democrático do que uma estrada. Porém, o prêço de seu uso, devería também seguir essa democracía.
Ou um valôr menor, e mais aceitável para todas as classes, ou valôres diferenciados por elas.
Com isso, muitos deixaríam de adquirir "ostentações" móveis, e outros trabalhadores seríam beneficiados com transportes de melhor qualidade.


Fico aqui imaginando, o que um político, um representante do povo, (seja ele federal, estadual, ou municipal), fica fazendo o dia todo. Tem um exército de assessores, outro de conselheiros, e ninguém sai de carro por ai? Andam todos de helicópteros?
Pegamos uma cidade como São Paulo, e somamos o quanto não pagam de IPVA, de Pedágios, de Zona Azul, de Multas "industrializadas" etc.
Será que esses "resgates" tem de ser tão caros????


Robson de Oliveira

Comentários

  1. Noooooooooooooooooossa! Esse blog é tão novinho e já está assim, tão povoado de você? Que maravilha! Já não era sem tempo, Robsonzito! Eu sempre achei que você deveria ter um blog, a sua capacidade de comunicação é muito curiosa. Além do mais, você sabe que pensa diferente da grande maioria, e isso é muito enriquecedor para a blogosfera. Então, seja bem-vindo e solte tudo o que tem pra soltar, porque eu sei que tem muita coisa aí dentro pra ser dita. E você verá que não faltarão interessados - isso é o máximo!

    Já li todos os textos postados desde o começo, agora vou pipocar um comentário aqui e acolá, afinal, é isso que faz a alegria de um blogueiro (você sentirá isso na pele... ahahahahahaha).

    Tudo de bom, sucesso e beijos! Manda ver, Robsonzito!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado minha querída! Já começo a sentir essa sensação, e o piór, é que estou decidindo se faço logo, ou não o tal do exame da próstata.
    Aquele da "dedada" como diz o Vevé. rsrsrsrs.

    Tenho medo de acabar me "soltando demais" depois. kkkkkkkk

    Obrigado linda!

    ResponderExcluir
  3. Caro Robson.
    O pedágio rodoviário seria um dos impostos mais justos, pois só paga quem usa. No transporte coletivo o preço é diluído e, é quase imperceptível para o usuário.

    E,ao contrário do que se imagina, as rodovias de maior tráfego são as que devem ser pedagiadas, pois assim, com os recursos, o governo investiria nas de menor uso, em locais mais afastados.
    Não é?

    ResponderExcluir
  4. Pois é Luíz!

    Concordo! Só nunca concordei com abusos de qualquer especie.
    Todos sabemos como os pedágios encarecem os fretes. Isso acaba sendo jogado nos diversos custos dos produtos.
    O que eu vejo (ao menos aqui na minha região) é que estamos literalmente cercados de pedágios caríssimos.
    Acho que daría muito bem para cortar metade dessa gordura nos preços.

    Abraços! E obrigado pela visita meu caro!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS