BASEADO EM FATOS REAIS

Vejam a cena:  " Um moleque quebra propositadamente um vaso caríssimo, e ao invés de assumir o ato, prefere esconder tudo debaixo de algum móvel e ainda com aquela cara sorridente de quem sabe perfeitamente o que fez. Já antevê a sensação agradável de acusar outro por aquilo que ele fez, e se delicía com a possibilidade de tudo dar certo!"

Tudo bem! É apenas um vaso e apenas um garoto, mas aí quando levamos ao extremo mais sério por onde passam os ditos "líderes" de organizações também ditas sérias, a coisa muda de figura!

O atual chefe da Casa Civíl, Antonio Palocci, não deixa de ser uma figura carismática. Aliás, carísma tem sido quase que usado como uma importante arma nos setôres públicos desse país.
Esse aspecto de minimizar atos criminosos pelo fato do transgressor ser um...digamos..."boa praça" já se torna uma característica psicológicamente irritante.

-Pô meu, o cara me fudeu, mas olha lá, ele pagou uma "pinga" pra todo mundo, contou uma piada que quase matou a galera de tanto rir, como é que eu vou ficar bravo com um "ser humano" desses?

(...)!!!!!!!!!!!

Voltando ao assunto do Palocci!

Tempos atrás, ele foi "reconhecido" por um caseiro que tomava conta de um local onde constantemente se reuníam alguns poderosos, e prostitutas.  Nada demais desde que não se usem recursos públicos para isso.
O problema está em que junto dos poderosos e prostitutas, havia também "lobbystas". Aqueles que "lutam" por seus interesses geralmente excusos junto aos políticos, e lhes propicíam algumas das "delícias" do governo.

Um tempo depois, apareceu numa revísta, uma cópia de um extrato bancário do rapaz caseiro e acusador do então ministro da Fazenda Palocci onde se verificava um depósito substancial que o governo logo caiu em cima como prova de que o rapaz estava recebendo para denunciar mais uma MENTIRA  para o PIG publicar.
Fico imaginando a festa que foi para o pessoal do Palocci.  - Agora ele se fudeu!!!!  Esse moleque vai ver com quem ele mexeu...

Só que esqueceram que um dado bancário não pode aparecer assim do nada. Exíste um direito que todos nós temos de sigílo bancário que só pode ser quebrado mediante mandato judicial.

Como então esse mandato saiu tão rápido?  NÃO SAIU...

Foi retirado dos dados bancários por ordem do gerente do banco de nome Jeter Ribeiro de Souza.
Dizem que o então Ministro da Fazenda, NÃO autorizou tamanho crime!

Bem...no mínimo então, o gerente em questão fez tudo por iniciatíva própria não é mesmo?
-Ah!!!  Tadinho do meu chefe "boa praça" tão legal, tão bacana, ...acho que vou ajudá-lo!!!
Mas não! Foi tudo pedido por seu chefe, o então presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Mattoso.

Bem...o Ministro caiu. E a "JUSTÍÇA" foi feita.  ... será????

Como isso não é final de filme, nem de novela onde tudo acaba bem, vejamos se foi assim...

Como eu disse num outro post anterior, no Brasil, os "Migué" sempre encontram soluções "mágicas" para escapar não só ilesos, como de preferência ainda com um bom lucro!

Antonio Palocci amarguradamente afastado foi passando aqui, correndo alí, agilizando acolá, e conseguiu.

O STF o absolveu. Não do processo, mas do início do processo, por "pasmem" FALTA DE PROVAS"...olha quanta conveniência!!!!  E que vitória apertada.  Dos nove ´Ministros do STF cinco entenderam que Palocci era "boa praça" demais para se sujeitar a tamanho constrangimento!!!

Bem....a novela não acabou ainda!!!!

Alguns anos depois, através de um pedido de Palocci (o boa praça) o tal gerente da Caixa na época, passa a ser nomeado ASSESSOR DO GABINETE PESSOAL DA PRESIDENTE DILMA ROUSSEF.

Palocci se torna CHEFE DA CASA CIVÍL.

E Franceníldo?  Aquele caseiro humilde que conseguiu PROVAR que o dinheiro na sua conta ESTUPRADA foi depositado por seu pai e não tinha nada a ver com o caso?

...tenho até medo de ir no google, e investigar!!!!

É por isso que os filmes com enredo baseado em "fatos reais" costumam ter aqueles finais tão desagradáveis.

(...)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIJOLO ECOLÓGICO - PROBLEMAS COM UMIDADE NA CONFECÇÃO

COELHOS NA PISCINA

O CIDADÃO, O SÚDITO E SEUS ORIFÍCIOS